Covid-19: São Luís tem 1º Hospital de Campanha com mais de 200 leitos

Governo do Estado entrega Hospital de Campanha de São Luís (Foto: Márcio Sampaio)

O enfrentamento ao novo coronavírus na Região Metropolitana ganhou mais um reforço com a entrega do primeiro Hospital de Campanha de São Luís, realizada pelo Governo do Estado nesta segunda-feira (18). A estrutura possui 3.500 m² e conta com 200 leitos, sendo 186 clínicos e 14 de UTI. O espaço foi montando no pavilhão de eventos do Multicenter Negócios e Eventos, de propriedade do Sebrae-MA, e levou duas semanas para ficar pronto.

O hospital de campanha era o nosso plano C, visto que a prioridade era criar estruturas que, após a pandemia, pudessem ficar permanentes para a sociedade e servissem ao sistema público. Diferentemente de outros hospitais que inauguramos, a nossa festa não será hoje, mas quando encerrarmos este serviço porque é quando teremos a certeza de que vencemos a pandemia e também o coronavírus”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

O hospital receberá pacientes encaminhados de uma das quatro Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) referência da capital. Para que fosse colocado à disposição da população, o Governo do Estado fez uso do decreto governamental nº 35.779, que garantiu a montagem da estrutura. As obras foram possíveis graças à parceria entre a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), que será a administradora da unidade.

O hospital conta com mais de 200 leitos

Presente na cerimônia e representando o governador Flávio Dino, o secretário de Estado da Casa Civil, Marcelo Tavares, reiterou o compromisso do Governo no enfrentamento à doença. “O esforço tem sido de forma conjunta para que continuemos a oferecer um tratamento digno a cada maranhense que enfrentar a Covid-19. No entanto, destacamos que nada será suficiente se cada cidadão não tiver consciência que esta é uma luta de todos”, destacou.

A equipe de profissionais que dará suporte no hospital de campanha será compatível ao quantitativo de leitos instalado. Para isso, fazem parte do corpo de especialidades do espaço médicos intensivistas tanto para UTI como enfermaria, além de um quadro multidisciplinar formado por psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, técnicos de enfermagem e nutricionistas.

Maranhão ganha primeiro hospital de campanha para pacientes com Covid-19

Foto Divulgação

O Governo e a Vale entregaram neste sábado (16) o Hospital de Campanha de Açailândia, o primeiro hospital de campanha da gestão estadual para atendimento às vítimas do novo coronavírus do Maranhão. O hospital construído em 26 dias está localizado nas proximidades do Fórum de Açailândia, no bairro Tropical.

Ao todo, são 60 leitos, sendo 53 de enfermaria e sete de UTI. O hospital contará com o apoio de duas ambulâncias de plantão, ambas equipadas com estrutura de UTI. Cerca de 217 profissionais fazem parte da equipe que dará assistência aos pacientes. A estrutura dará apoio a municípios da Região Tocantina.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Carlos Lula, o Hospital de Campanha de Açailândia é uma iniciativa que vai ajudar a desafogar outras unidades públicas de saúde. “O hospital de campanha vai servir não só para Açailândia, mas para toda a região. É um hospital moderno, de média complexidade, com 60 leitos, sendo sete de UTI com respiradores. A gente tem certeza de que ele vai salvar muitas vidas. Melhor que abrir, vai ser quando pudermos anunciar que vamos fechar o hospital, porque vai mostrar que vencemos a pandemia”, afirmou o Lula.

A montagem do equipamento contou a importante parceria da Vale. “O hospital de campanha em Açailândia terá papel fundamental na luta contra a Covid-19. Ele está aqui para salvar vidas! Essa parceria demonstra nosso entendimento de que a única maneira de vencer essa pandemia é somando esforços. Além do hospital, a Vale também está disponibilizando duas ambulâncias UTI para suporte dos pacientes. É um esforço conjunto voltado à saúde das pessoas, das comunidades da qual nós também fazemos parte”, destaca o gerente executivo da Vale, João Falcão.

Novos leitos

Carlos Lula ainda informou que, na próxima segunda-feira (18), será aberto em São Luís o segundo hospital de campanha. A estrutura está sendo montada no espaço Multicenter Negócios e Eventos, do Sebrae, e contará com 200 leitos, sendo 190 para enfermaria e 10 de cuidados intensivos.

O espaço vai receber pacientes oriundos das UPAs da capital. Além disso, o secretário ressaltou, ainda, que serão abertos novos leitos de UTI e Clínicos em unidades de saúde nas cidades de Caxias, Lago da Pedra, Santa Luzia do Paruá e São Luís até o final de maio.

Transporte de pacientes com Covid-19 é reforçado com mais 10 ambulâncias

Foto: Julyane Galvão

O Governo do Estado e a Vale entregaram nesta quarta-feira (13) dez novas ambulâncias para fortalecer o transporte de pacientes entre as unidades de saúde. Com os novos veículos, os pacientes diagnosticados com a Covid-19 que precisarem do atendimento hospitalar também serão beneficiados, garantindo mais segurança e rapidez no atendimento.

Queremos agradecer à empresa Vale, que tem sido uma grande parceira neste cenário de pandemia, uma vez que os veículos entregues farão grande diferença, seja aqui na capital como no interior do Estado”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

As 10 ambulâncias UTI terão papel determinante no objetivo de salvar vidas em várias cidades do Estado, sobretudo onde o acesso à rede hospitalar é mais restrito. A remoção com suporte de uma UTI pode determinar a continuidade da vida de uma pessoa. Essa é a nossa intenção com essa parceria: ajudar a salvar vidas!”, ressalta o gerente executivo da Vale, João Falcão.

As unidades funcionam como UTIs móveis, úteis para fazer o translado de pacientes considerados graves entre unidades de saúde e, assim, facilitar o acesso seguro de casos da Covid-19 ao tratamento. Os veículos hospitalares beneficiarão os municípios de São Luís, Santa Inês, Santa Luzia, Raposa, Paço do Lumiar, Cururupu, Barra do Corda, Imperatriz e Açailândia.

Além dos veículos de UTI móvel, a Vale, também em parceria com a gestão estadual, está construindo um hospital de campanha com 60 leitos na cidade de Açailândia, todos destinados ao tratamento exclusivo de pessoas diagnosticadas com a Covid-19.

Governo do MA seleciona profissionais pelo ‘Mais Médicos para o Brasil’

Carlos Lula, Secretário de Estado de Saúde

Mais 40 médicos serão convocados pelo Governo do Maranhão, para atuar nas unidades de saúde em atendimento a casos de coronavírus. Estes profissionais vão contribuir para manter os atendimentos na rede estadual neste momento de pandemia e garantir o acolhimento aos que necessitarem. Paralelamente, o Governo instituiu o programa ‘Reembolso Saúde’ para profissionais que estão na linha de frente dos casos.

Os profissionais serão convocados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). A contratação passa por análise documental e atendimento ao edital do Ministério da Saúde. É preciso formalizar requerimento e declaração por escrito, comunicando que atende diretamente pacientes da Covid-19 e, por isso, não pode retornar para casa em virtude do risco de exposição de sua família. Cópias da identificação do profissional da saúde e contrato de hospedagem também serão solicitados.

O contrato vai durar até que o Governo Federal cumpra, conforme determina o seletivo feito, ou a extinção do estado de calamidade pública. Caso necessário, mais médicos serão chamados até o alcance das 65 vagas disponibilizadas ao Maranhão pelo programa federal.

O Governo do Maranhão não tem medido esforços para combate ao novo coronavírus no Estado. Reforçamos medidas preventivas e estamos trabalhando para ampliar a assistência hospitalar, aumentando o número de leitos e reforçando o quadro de profissionais nas nossas unidades, que são imprescindíveis nesta luta”, destaca o titular da SES, Carlos Lula.

A necessidade de mais profissionais também se dá pelo avanço da doença e consequente abertura de novos leitos no Estado. O Maranhão aguardava 170 profissionais da área, fruto de edital do Ministério da Saúde, lançado em março, o que não houve. Por essa falta, o Poder Executivo Estadual autorizou, por meio de Medida Provisória, a contratação de profissionais de Medicina já selecionados pela União.

O decreto do Governo do Estado tem base em Portaria n° 188, de 03 de fevereiro, do Ministério da Saúde, que declara emergência em saúde pública de importância nacional, em decorrência do novo coronavírus. Da mesma forma, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou estado de pandemia da doença, o que exige esforço conjunto de todo o sistema de saúde para identificar ocorrências e adotar medidas devidas.

Já o programa ‘Reembolso Saúde’ consiste em garantir hospedagem – em hotéis, apart-hotel e similares – aos profissionais de saúde da rede estadual e àqueles que trabalham diretamente na realização de exames de detecção, e que, por esta razão, estejam impossibilitados de retornar às suas casas.

O Governo irá reembolsar custos de até R$ 2 mil mensais, mediante apresentação do contrato de hospedagem e declaração atualizada da continuidade de uso do serviço. A iniciativa pretende evitar exposição dos familiares destes profissionais ao risco de infecção pelo vírus.

Vídeo: Em uma corrida para salvar vidas, Maranhão recebe respiradores

Chega em terra maranhense uma encomenda muito esperada e que pode salvar muitas vidas. São os 107 respiradores vindos da China adquiridos pelo Governo do Estado através da colaboração de grandes empresas que muito têm contribuído no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão.

Os respiradores foram recebidos pelo Secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, pelo Secretário estadual de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo e por Ilson Mateus. Na ocasião eles seguravam a bandeira do Maranhão.

Agradeço a todos os empresários e empresas que contribuíram com milhões de reais doados à Seinc para que o Maranhão possa adquirir 187 respiradores e 200 mil máscaras N95, para o combate ao Coronavírus”, disse Simplício.

Abaixo a relação das empresas que contribuíram.

Omega Energia
Alumar
Eneva
Grupo Mateus
EDP linhas de transmissão
Suzano
Gera Maranhão Energia
Universidade Ceuma
Cervejas Haineken
Lavronorte
Fribal
Grupo Maratá
Comercial Rofe
Centro Elétrico
Potiguar
Roque Aço Cimento
Revest Com. e Serviços
COC
Dinamo Engenharia
Faculdade ISL Wyden
Vale
Grupo Maratá
Canopus
Sinduscon
Silveira engenharia
Dimensão Engenharia
Construtora Escudo
Lua nova engenharia
Alfa Engenharia
RJ distribuição
RBC Construções
Constans

Sobe para 11 o número de mortes por coronavírus no Maranhão

Foto Divulgação

O Secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, divulgou na noite desta terça-feira (7) um boletim atualizado com o quantitativo de casos do novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão.

Subiu para 11 o número de óbitos. Os casos confirmados chegam a 230. Veja acima.

SES anuncia a 4ª morte por Covid-19 no Maranhão

Foto Divulgação

O Secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, acaba de anunciar o quarto óbito por coronavírus (Covid-19) no Maranhão.

O número de casos confirmados da doença chega a 172, sendo que desse total apenas 123 estão em tratamento, 45 já se recuperaram e somente quatro pessoas morreram.

A quarta paciente que faleceu foi uma idosa de 74 anos, cardíaca, que estava há dois dias internada na UTI do Hospital São Luís, o hospital do Servidor.

Confira aqui o boletim epidemiológico divulgado na noite de hoje.

Como perder uma guerra

Por Carlos Lula

Carlos Lula, Secretário de Estado de Saúde

Tenho chegado à Secretaria cada vez mais cedo e saído cada vez mais tarde. Com a rotina completamente alterada, restou pouca coisa a não ser mergulhar completamente no trabalho. E o trabalho hoje resume-se a combater o avanço do coronavírus. Temos usado o SUS a nosso favor, reunindo, através de telas de celulares, tablets, notebooks, conversando e discutindo com pessoas que podem estar do outro lado da nossa ilha, ou em outros estados ou em outros países.

Parece que finalmente as pessoas entenderam o peso da responsabilidade que sobre nós caiu. A vida das famílias mudou, e vai continuar em mudança por algum tempo. Precisamos nos acostumar com isso. Mas há ainda um incômodo em mim crescente quando vejo, da janela do carro, os comércios abertos, as pessoas transitando na orla da praia como se estivéssemos em férias. Não consigo não pensar nos seus filhos, nos meus filhos, nos seus parentes e nos meus parentes, por consequência.

Não consigo não pensar nos nossos profissionais de saúde que estão há pelo menos vinte dias em combate diário, expostos e distantes fisicamente dos seus familiares. Penso na dor dos que já perderam alguém para o vírus e que se imaginam, hoje, podendo ter tomado alguma medida restritiva diferente do que fizeram.

O contraste entre a endorfina dos que se exercitam ao ar livre com o luto daqueles que não puderam se despedir de quem partiu repentinamente, sem dizer adeus, sem dizer tudo o que precisava ser dito.

Essa é a nossa maior batalha. E a minha não é melhor ou pior do que a de vocês. O confinamento produz angústia e produz incertezas, e nos coloca diante de questões que alguns de nós gostaríamos de evitar. Mas o esforço aqui é coletivo. Terá sido em vão se, depois de tanta dedicação do Governo do Estado, com a construção de novos leitos exclusivos para o Covid-19, com o desenho do fluxo de atendimento, com a determinação na obtenção dos kits para testes da população, as madrugadas em claro dos nossos técnicos do LACEN, não consigamos suavizar a nossa curva de casos.

Temos visto nos telejornais que nenhum, repito nenhum sistema de saúde do mundo, público ou privado, está preparado para o tamanho deste desafio. Quanto mais ficamos fora de casa, mais espalhamos o vírus. Mesmo sem sintomas, mesmo bem de saúde, você pode espalhar o vírus para outras pessoas, e não vamos dar conta de atender todo mundo.

Um ranking de adesão ao isolamento social divulgado pela Revista Exame, no dia primeiro de abril, revela que 57% dos brasileiros aderiram às medidas restritivas de circulação. A capital maranhense, no entanto, aparece apenas na vigésima posição, com 54,4% de adesão ao isolamento. É um índice muito baixo se quisermos realmente mitigar os impactos do vírus no nosso estado e consequentemente na ilha.

O desespero do Fred Maia, prefeito de Trizidela do Vale, que viralizou nas redes sociais é o retrato do que está em jogo para todos aqueles que se sentem responsáveis pelos seus cidadãos. Indo além da imagem pitoresca que a internet cristalizou, o cenário de repressão policial é o último estágio que pretendemos chegar para que entendamos, de uma vez por todas, que não será suficiente entregarmos o máximo de nós enquanto 40% da população continuar saindo de casa.

Se pegarmos como exemplo a Segunda Guerra Mundial, que durou 2.174 dias e estima-se ter custado 1,5 trilhão de dólares, terminamos ceifando a vida de mais de 50 milhões de pessoas. Isso representa 23 mil vidas perdidas por mês, ou mais de seis pessoas mortas por minuto, durante seis longos anos.

No caso do novo coronavírus, quando escrevo este artigo, temos mais de um milhão de casos confirmados no mundo e quase 60 mil mortes, em pouco mais de 100 dias de circulação da doença no mundo. São quase 20 mil vidas perdidas por mês e não é exagerado fazer a projeção de que estamos diante de uma guerra.

Embora eu não seja um admirador destas analogias de guerra, é fundamental que entendamos que sem suprimentos, sem estratégia, sem harmonia e sem disciplina seremos trucidados. O inimigo não tem pátria, ele ignora nossas estratégias e nossas desavenças locais. É hora de unir forças, porque sem compreensão da gravidade do problema, nós inevitavelmente sucumbiremos.

Atenção teimosos! Acessos à Litorânea em São Luís são BLOQUEADOS

Foto Divulgação

Os principais acessos à Avenida Litorânea amanheceram neste domingo de Ramos (5) bloqueados. A ação do Governo do Estado do Maranhão conta com o apoio da Polícia Militar e Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes de São Luís (SMTT).

A fiscalização já estava sendo feita pela guarda municipal por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O objetivo é a prevenção contra a doença evitando aglomerações. Mas não houve resultado. Hoje os acessos à Litorânea precisaram ser fechados.

O Secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, atribuiu a ação à teimosia da população e fez um alerta nas redes sociais:  “E as entradas da Litorânea tiveram de amanhecer assim, com acesso proibido. Não teve jeito, teimosia DEMAIS. Fiquem em casa!”

Foto Divulgação

Maranhão tem 71 casos de coronavírus sendo 58 ativos, 12 recuperados e 1 óbito

Foto Reprodução

O Secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, acaba de anunciar um aumento expressivo do número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão. Agora são 71. Desse total 58 estão em tratamento, 12 já se recuperaram e uma pessoa morreu vítima da doença.

Foto Reprodução
Foto Reprodução