CAGADA: PF acha dinheiro em cueca de Senador vice-líder do governo Bolsonaro

Bolsonaro e o Senador Chico Rodrigues

O Senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que é vice-líder do governo Bolsonaro, foi alvo de operação da Polícia Federal ‘Desvid-19’, realizada em Boa Vista, que apura desvios de recursos públicos destinados ao combate à pandemia de covid-19 através de emendas parlamentares.

Durante a abordagem, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (15), foi encontrada a quantia de R$ 30 mil em dinheiro na cueca de Chico que ainda estava de pijama e tentou esconder o montante. Ao todo, na residência do Senador a PF contabilizou R$ 100 mil.

A ordem de busca e apreensão foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.

Confira mais detalhes no vídeo a seguir.

PF deflagra operação contra tráfico internacional de drogas no Maranhão

Apreensões em São João Batista

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (11/9) a Operação “Aimará II”, com a finalidade de desarticular uma associação criminosa voltada à lavagem de capitais, bens e valores provenientes do tráfico internacional de drogas, nos municípios de São Luís, Barreirinhas e São João Batista, no Maranhão.

Cerca de 21 policiais federais cumprem seis mandados de busca e apreensão,tendo as ordens judiciais sido determinadas pela 1ª Vara Federal de São Luís. Além dos mandados, foi concedida a constrição patrimonial (bloqueio de bens) em face de todos os investigados, no valor de R$ 9 milhões.

Durante as investigações, foram verificados a aquisição de diversos imóveis, veículos de luxo e ostentação de uma vida incompatível com a renda declarada pelos investigados aos órgãos fiscais.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados responderão pelo crime de lavagem de dinheiro, previsto no artigo 1º da Lei 9.613/98, cuja pena é de reclusão, de 3 a 10 anos, e multa.

A seguir, um vídeo que mostra o local em São João Batista onde a PF fez buscas e apreensões.

A presente operação é uma continuação da Operação Aimará I, deflagrada em 04/11/2014, que desarticulou uma associação criminosa destinada ao tráfico internacional de drogas que agia, também, no Pará e Amazonas. À época, foram cumpridos 12 mandados de prisão, dois mandados de condução coercitiva e 11 mandados de busca e apreensão. Na ocasião, cerca de 90 policiais participaram da ação.

AIMARÁ é uma língua falada por mais de dois milhões e meio de pessoas da etnia aimará, principalmente no Peru e na Bolívia. Inclusive, em tais países, a língua aimará é considerada língua oficial. A associação criminosa investigada é comandada por dois irmãos peruanos.

PF e Gaeco realizam Operação ‘Integração’ em Timon e Teresina

Armas apreendidas na operação
Armas apreendidas na operação

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) da Regional de Timon participou, nesta quarta-feira, 9, da Operação Integração, deflagrada pela Polícia Federal em parceria com as polícias civis do Maranhão e do Piauí. A Operação cumpriu seis mandados de prisão em Timon e um em Teresina, expedidos pela 1ª Vara Federal Criminal do Piauí, contra um suspeito de falsificação de documentos em processo de aquisição de arma de fogo.

A ação resultou na prisão em flagrante de um empresário da região por posse ilegal de arma. De acordo com informações levantadas pelo Gaeco e que subsidiaram a atuação da PF, o investigado fraudou documentos junto à Polícia Federal para adquirir armas de fogo. Ele teria ocultado uma condenação promovida pela 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Timon e processada na 1ª Vara Criminal de Timon, da qual recorria em liberdade. Por conta dessa condenação em primeira instância por tráfico de drogas, ele não poderia adquirir armas.

Durante a Operação, que teve a participação de 60 policiais e dois membros do Ministério Público do Maranhão, foram apreendidas duas pistolas, munições, três aparelhos celular e uma quantia em dinheiro, não especificada, que foi encontrada embaixo do colchão em um dos imóveis do suspeito.

E agora Aluísio Mendes? Presidente do PSC é preso pela PF

Deputado Aluísio Mendes e pastor Everaldo
Deputado Aluísio Mendes e pastor Everaldo, agora preso

O deputado federal Aluísio Mendes, que sempre foi um defensor da moral e dos bons costumes, ainda não se manifestou sobre a prisão do presidente do Partido Social Cristão (PSC), o Pastor Everaldo, ocorrida nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (27) no Rio de Janeiro.

O presidente do partido de Aluísio, e ex-secretário, foi preso pela Polícia Federal na Operação Tris in Idem, por corrupção.

Pastor Everaldo preso pela PF
Pastor Everaldo preso pela PF

O Pastor foi citado na delação premiada do ex-secretário de saúde, Edmar Santos, por conta da influência dele no Palácio Guanabara. Era ‘Everaldo quem mandava na saúde’, diz delação.

Com a palavra deputado Aluísio Mendes…

ERRAMOS: Emendas de Eduardo Braide não estão na mira da Polícia Federal

Deputado federal Eduardo Braide

Apesar do deputado federal Eduardo Braide (Podemos) ter destinado emendas parlamentares para os municípios de Santa Rita e Bacabeira, que são administrados pelo casal Hilton e Fernanda Gonçalo, respectivamente, esses recursos não fazem parte da investigação da Polícia Federal nos municípios de Santa Rita, Bacabeira e Miranda do Norte.

A própria imagem divulgada pela Tribuna 98 mostra o ‘tipo de proposta’ da emenda é ‘incremento MAC’, significa que os recursos devem ser aplicados em unidades de saúde de média e alta complexidade. Desta forma, os recursos não poderiam ser utilizados para comprar respiradores e EPIs, que é o alvo da operação da Polícia Federal.

Emenda para Bacabeira
Emenda para Bacabeira
Emendas para Santa Rita
Emendas para Santa Rita

Vale ressaltar que Eduardo Braide não foi o único parlamentar a destinar emendas para os municípios e a aplicação dos recursos são de responsabilidade dos gestores municipais.

Fonte: TRIBUNA 98

Operação da PF em Bacabeira deixou grupo de Fernanda Gonçalo desordenado

Polícia Federal na sede da Prefeitura de Bacabeira

A operação “FALSA ESPERANÇA” realizada pela Polícia Federal no município de Bacabeira deixou o grupo politico de Hilton e Fernanda Gonçalo zonzo. Não bastasse o impacto negativo da operação, as atitudes praticadas pela prefeita e seu esposo também geraram mais desgaste.

Ao demitir a presidente da licitação e o secretário de finanças, a prefeita simplesmente assumiu que os crimes usando o dinheiro público que estão sendo investigados pela Polícia Federal aconteceram.

Ao nomear para pasta uma secretária que acumula atualmente nada menos que três secretarias, é dizer claramente que não confia em mais em ninguém do próprio grupo, pois não existe nenhuma necessidade de alguém acumular tantos cargos.

As consequências são graves, a secretária Sulamita Carvalho que agora tem status de super secretária não está dando conta de administrar tantas secretarias, é quase humanamente impossível. E por isso mesmo, é que a confusão tá grande na SEMDES.

Por lá, o assessor Genilson que também é presidente do PTC está se digladiando nas redes sociais com o vereador Jeferson Calvet que desde que saiu da saúde se mudou para a SEMDES com sua turma. Os dois aliados de Fernanda foram parar na delegacia de Bacabeira.

Nesta semana, o secretário de pesca Ruck Pires partiu para o enfrentamento com o presidente da Câmara de Bacabeira. Ruck ofendeu o vereador e não mediu palavras para mostrar que em Peri de Baixo, ele é que tem a confiança de Fernanda.

Nos bastidores, todos os vereadores da base governista reclamam que o grupo está jogado e sem liderança, eles admitem que nem suas mensagens de whatsapp são respondidas. Um deles, em contato com nosso blog abriu o jogo e disse que na hora certa vai chutar o pau da barraca.

Até os secretários andam desmotivados com os rumos da administração e são os primeiros a reclamarem do grau de desorganização da gestão e de falta de autonomia. Com tudo isso, há quem diga, que as carradas de bloquetes espalhadas na cidade não vão fazer nenhum diferença na hora da eleição.

A comunicação do grupo é outro desastre, no dia da operação da PF uma nota de esclarecimento foi publicada no portal da prefeitura e minutos depois excluída. O blog apurou que a nota acabou irritando os delegados da PF e o Juiz que determinou as buscas e prisões.

Do Maranhão de Verdade

PF e INTERPOL deflagram operação no Maranhão, em mais 5 Estados e 3 países

Polícia Federal contra o tráfico internacional de drogas

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (12/08), a segunda fase da Operação Olossá, com o objetivo de cumprir mandados judiciais decorrentes de investigação sobre organização criminosa especializada no tráfico internacional de entorpecentes pelo modal aéreo, especialmente para Europa e Ásia. A principal forma de atuação era a utilização de “mulas”, que transportavam o entorpecente escondido em suas bagagens.

Nesta data estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão e 10 mandados de busca e apreensão, nos Estados da Bahia (Salvador, Lauro de Freitas e Conceição do Coité), Sergipe, Maranhão, Pará, São Paulo e Santa Catarina. Entre os mandados de prisão, três estão sendo cumpridos no exterior, com o auxílio da INTERPOL; dois na Espanha e um na Tailândia.

No Maranhão foram cumpridos um mandado de prisão preventiva e um de busca e apreensão em São José de Ribamar, Região Metropolitana de São Luís.

A investigação teve início em maio de 2019, a partir do aprofundamento de informações recebidas pelo serviço de Disque Denúncia da Secretária de Segurança Pública da Bahia. Naquela ocasião, identificou-se que o proprietário de uma barraca de praia em Lauro de Freitas usava o estabelecimento para aliciar as “mulas”, sendo ele o principal integrante da organização criminosa nessa função. Era ele, também, quem providenciava as passagens, documentos e dinheiro para o custeio da viagem.

Durante a investigação, dez pessoas foram presas em flagrante, quando tentavam embarcar para o exterior com cocaína escondida em suas bagagens em aeroportos da Bahia, de São Paulo, de Pernambuco, do Ceará e do Paraná. Além delas, outras três pessoas foram presas quando efetuavam a entrega de malas já preparadas, com a droga escondida, para as “mulas”.

Em 10/3/2020, foi deflagrada a primeira fase da operação, sendo cumpridos quatro mandados de busca e cinco mandados de prisão nas cidades de Salvador e Ipiaú, na Bahia, e Ananindeua, no Pará. A partir da análise do material apreendido na primeira fase, conseguiu-se identificar a liderança e integrantes do primeiro escalão da organização criminosa investigada, inclusive de pessoas que iniciaram como “mulas” e assumiram outros postos no esquema criminoso, mudando-se para o exterior para recepcionar os viajantes que chegavam do Brasil transportando a droga.

Os investigados irão responder pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Operação ‘Falsa Esperança’ e o silêncio de Fernanda, Hilton Gonçalo e Jr Negão

Prefeitos Fernanda Gonçalo, Hilton Gonçalo e Eduardo Belford (Jr Negão)
Prefeitos Fernanda Gonçalo, Hilton Gonçalo e Eduardo Belford (Jr Negão)

A Operação ‘Falsa Esperança’, deflagrada na última quarta-feira (5) pela Polícia Federal no Maranhão, desbaratou uma associação criminosa voltada a fraude em licitações e desvio de recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento à Covid-19 nos municípios de Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte.

Entre os investigados, presos e foragidos, estão secretários municipais e o dono da empresa JJ da Silva & Santos Ltda., situada no município de Paço do Lumiar, Região Metropolitana de São Luís, que realizou todas as aquisições de equipamentos de proteção individuais (EPI’s) e ainda simulou compra de respiradores pulmonares superfaturados e não realizou a entrega de produtos.

Confirmadas as fraudes, todos responderão pelos crimes de peculato, falsidade ideológica, fraude em processo licitatório, superfaturamento na venda de bens e associação criminosa.

Ocorre que diante do escândalo envolvendo a gestão municipal das três cidades, os prefeitos Hilton Gonçalo (Santa Rita), Fernanda Gonçalo (Bacabeira), e Eduardo Belfort o Jr Negão (Miranda do Norte) continuam em silêncio absoluto e nem sequer se manifestaram fim de esclarecer as graves denúncias.

Os gestores devem ficar atentos pois: “QUEM CALA CONSENTE!”

Vídeo: PF coíbe compra ilícita de respiradores em Bacabeira, Santa Rita e Miranda

Operação Falsa Esperança da Polícia Federal no Maranhão

A Polícia Federal, por meio da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros – DELECOR/MA, com o apoioda Controladoria Geral da União -CGU, deflagrou na manhã desta quarta-feira (5), a Operação “FALSA ESPERANÇA”, com a finalidade de desarticular associação criminosa voltada a fraude em licitações e desvio de recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19), nos municípios de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA.

Durante a investigação, foram verificados indícios de superfaturamento de equipamentos de proteção individuais (EPI’s) e de simulação na compra de respiradores pulmonares, que apesar do pagamento antecipado pelas prefeituras de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA, nunca foram efetivamente entregues.

Todas as aquisições foram realizadas com uma única empresa, sediada na cidade de Paço do Lumiar, que nunca havia atuado no ramo médico hospitalar. A investigação revelou que a empresa não tinha nenhum empregado e atuava com a comercialização de acessórios para instalação de aparelhos de ar-condicionado e de energia solar. A empresa tinha um total de 69 atividades secundárias, que variavam desde a confecção de vestuário, segurança privada e até produção musical.

Cerca de 50 policiais federais cumprem quatro Mandados de Prisão Temporária, e 13 (treze) Mandados de Busca e Apreensão, além do sequestro de bens e bloqueio de contas dos investigados, tendo as ordens judiciais sido determinadas pela 1ª Vara Federal de São Luís/MA.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados responderão pelos crimes de peculato (Art. 312, caput, do CPB), falsidade ideológica (Art. 299, do CPB), fraude em processo licitatório (Art. 90 da Lei nº 8.666/93), superfaturamento na venda de bens (Art. 96, I da Lei nº 8.666/93) e associação criminosa (Art. 288 do CPB).

As ordens judiciais foram cumpridas em 06 cidades do Maranhão: São Luís, São José do Ribamar, Paço do Lumiar, Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte.

A Operação foi denominada “FALSA ESPERANÇA” em referência a expectativa criada na população dos municípios de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA de que as gestões municipais teriam adquirido de forma lícita equipamentos contra a COVID-19, e que, ao fim, nunca chegaram a ser efetivamente entregues.

PF realiza operação nas sedes das Prefeituras de Miranda e Bacabeira

PF em operação Miranda do Norte

Agentes da Polícia Federal chegaram cedo à sede da Prefeitura de Bacabeira e de Miranda do Norte, no Maranhão, onde realizam operações nesta quarta-feira (5).

Em Miranda, cidade localizada a 124 km de São Luís, comandada pelo prefeito Carlos Eduardo Fonseca Belfort, popularmente conhecido como Júnior Negão, a PF apura detalhes sobre uma compra de respiradores foram que foram devolvidos juntamente com dinheiro pago pelos aparelhos. A secretária de Saúde do Município, Alexandra Oliveira Reis, foi conduzida pela PF.

Em Bacabeira, onde a prefeita é Fernanda Gonçalo, ainda não há informações oficiais.

Aguardem detalhes sobre os desdobramentos e alvos da ação.