Gaeco e Seccor estouram esquema em locação de veículos em Bom Jesus das Selvas

Documentos apreendidos na Operação KM Zero

A Promotoria de Justiça de Buriticupu, com auxílio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão (MPMA) e da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (Seccor), está realizando a Operação KM Zero no Município de Bom Jesus da Selvas, termo judiciário da comarca de Buriticupu. A Operação KM Zero visa a obtenção de mais provas do esquema fraudulento e bens e valores para a reparação civil dos danos causados aos cofres municipais.

O Ministério Público iniciou investigações após recebimento de representação formulada pelo Ministério Público de Contas, que apontou indícios de irregularidades em contratos firmados pela Prefeitura Municipal de Bom Jesus das Selvas para a locação de veículos leves e pesados.

O MPMA apurou que as empresas que participaram dos procedimentos licitatórios atuariam em conluio, com confusão de sócios e colaboradores, sem possuírem veículos e sedes administrativas que demonstrassem atividades lícitas.

Foram quebrados judicialmente os sigilos bancários e fiscais das empresas, sócios e servidores públicos envolvidos nas irregularidades.

Após o processamento dos dados recebidos no Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB-LD), foram encontradas volumosas transações financeiras atípicas, em montantes que superam dezenas de milhões de reais.

Entre as movimentações estão o recebimento de dinheiro em conta corrente pelo prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, presidente da Câmara Municipal, vereadores do Município de Bom Jesus das Selvas e diversos servidores públicos municipais, por meio de transferências diretas feitas pelas empresas.

Atuam na operação os Gaecos de São Luís, Timon e Imperatriz. Também dão apoio aos trabalhos os promotores de justiça das Comarcas de Olho d’Água das Cunhãs e Maracaçumé.

Preso bandido que roubou posto fiscal, aeronave e R$ 2,2 milhões em malotes no MA

Foto Reprodução: PCMA

A Polícia Civil do Maranhão com apoio do Grupo de Ações Táticas do Interior (GATI) do Estado de Sergipe, deu cumprimento ao mandado de prisão definitiva contra um homem considerado foragido da justiça maranhense e que foi condenado pelos crimes de roubo e associação criminosa (com pena de 9 anos) e posse ilegal de arma de fogo (com pena de 6 anos e 3 meses). O homem foi preso na cidade de Aquidabã, em Sergipe, através de uma investigação feita pelo Grupo de Pronto Emprego (GPE) da 10ª Delegacia Regional de Imperatriz.

Segundo as investigações, em 1997, o individuo juntamente com mais 5 autores, todos armados, invadiram o Posto Fiscal II, localizado na BR-010, na cidade de Estreito onde executaram um roubo. A ação criminosa teve participação direta de policial militar na época, sendo este o responsável por render outros policiais e funcionários do Posto Fiscal que estavam de serviço no dia do roubo, momento este em que já se encontravam no local o restante dos autores que subtraíram o valor de R$ 20.316,66 pertencente a determinado banco.

Ficou constatado também que o mesmo criminoso, participou em maio de 1998 do roubo de uma aeronave de uma empresa de transporte aéreo. Após decolar do aeroporto de Imperatriz com destino à cidade de Marabá, no Pará, a aeronave foi tomada por alguns integrantes da quadrilha que estavam no referido voo. Os autores renderam a tripulação e com armas em punho obrigaram o piloto a desviar o destino para pousar na cidade paraense de Rondon, quando então se apossaram de três malotes de determinado banco que estava sob proteção de uma empresa de segurança privada. Os malotes continham R$ 2.250,000 (dois milhões e duzentos e cinquenta mil reais).

Nesta quinta-feira (11), o criminoso foi preso e conduzido ao Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) na cidade de Aracaju, onde deve ficar preso à disposição da Justiça.

As informações são da Polícia Civil do Maranhão.

Polícia Civil vai atrás de ‘MIAU’ e prende uma galera no Sul do Maranhão

Foto Divulgação: PCMA

A Polícia Civil do Maranhão deflagrou a operação “Rota Sul” de combate ao furto de energia elétrica em cinco cidades do interior do Estado: Grajaú, Itaipava do Grajaú, Imperatriz, Vila Nova dos Martírios e Açailândia. A ação contou com o apoio de equipes da Equatorial Maranhão e peritos do Instituto de Criminalística (ICRIM).

O Departamento de Defesa de Serviços Delegados ( DDSD/ SEIC) acompanhou os profissionais do ICRIM que realizaram diversas perícias nos sistemas de medição de energia em residências e estabelecimentos comerciais resultando em 12 (doze) perícias, com vários autos de prisão em flagrante.

A operação teve como finalidade combater a prática de furto de energia pela região. Durante a atuação dos policiais, foram realizadas perícias nos sistemas de medição de energia elétrica em residências e estabelecimentos comerciais. Os suspeitos de cometerem as irregularidades foram presos em flagrante e, de acordo com a polícia, responderão pelos atos de furto de energia. Ao todo, foram realizadas 14 ações, sendo 8 flagrantes.

O furto de energia tem sido uma ação frequente praticada por pessoas que não seguem os critérios de segurança das distribuidoras de energia, o que torna a ação perigosa para todos que residem na região. Essa prática além de ser criminosa é passível de punições legais previstas no artigo 155 do Código Penal Brasileiro (inclusive com pena de 1 a 8 anos de reclusão) e multa.

COHATRAC BOMBADO: Apreendida carga de anabolizantes de quase R$ 800 mil

Carga apreendida em São Luís abasteceria o Cohatrac

A Polícia Civil do Maranhão interceptou ontem (26), uma grande carga de anabolizantes oriunda do Estado de São Paulo e que tinha como destino os bairros Jardim das Margaridas e Cohatrac, em São Luís. Segundo a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), todo material apreendido está avaliado em quase 800 mil reais.

A ação policial que também contou com a participação de agentes da Receita Federal se iniciou ainda na sede dos Correios, numa fiscalização conjunta entre as instituições, culminando com a apreensão de parte do material e identificação do destinatário, e após um árduo trabalho investigativo foi possível localizar a residência em que estariam guardadas grande quantidade do mesmo material anabólico.

Na ocasião, os policiais ainda encontram na residência uma Pistola Taurus 765 com carregador, e uma caixa contendo vários documentos de procedência ilícita. As investigações continuam afim de que sejam identificados e presos todos os outros autores e cumplices do referidos crimes cometidos contra a saúde pública e outros.

Funcionários da CAEMA são presos por fraudes de mais de R$ 500 mil

Prisões e apreensões por fraudes na CAEMA em São Luís

Um homem e uma mulher, funcionários da CAEMA, foram presos durante uma operação deflagrada nos últimos dias 20 e 21 de setembro, pela Polícia Civil do Maranhão que conseguiu neutralizar um esquema de fraude que gerou prejuízos à companhia em mais de R$ 500 mil. Além das prisões , a polícia ainda cumpriu mandados de busca e apreensão.

Segundo o Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT/SEIC) , de forma totalmente fraudulenta, os funcionários acessavam o sistema da companhia para verificar os clientes que possuíam débito, com isso, entravam em contato como se fosse do setor de cobranças para ofertar aos clientes valores abaixo do valor real para realizar a quitação do débito.

Após cumprimento do mandado e interrogatórios, os funcionários presos foram encaminhados ao Sistema Penitenciário e os objetos apreendidos serão analisados a fim de aprofundar as investigações.

Mãe é presa após esconder cocaína e maconha na cueca do filho em Buriti Bravo

Foto Divulgação: PCMA

Durante uma operação conjunta entre a Polícia Civil e Militar do Maranhão realizada na tarde da última terça-feira (14), uma mulher foi presa em flagrante pelo crime de tráfico de drogas na cidade de Buriti Bravo.

A prisão teve como base uma denúncia recebida pela Delegacia de Polícia Civil de Buriti Bravo dando conta de que uma mulher estaria vindo de Teresina possivelmente transportando entorpecentes. Logo a Polícia Civil e Militar montaram uma barreira policial na MA-034 nas proximidades da cidade, onde foi possível interceptar o transporte.

Durante a vistoria, os policiais encontraram cerca de 300 gramas de cocaína e um pequena quantidade de maconha que estavam escondidas dentro da cueca do filho da conduzida, uma criança de apenas 6 anos de idade. Após os procedimentos legais, a conduzida foi encaminhada para UPR de São João dos Patos, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.

‘Operação Alferes’: policiais são presos por tentativa de homicídio em Grajaú

Foto Divulgação

Uma operação foi deflagrada na tarde de ontem (29), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) em conjunto com a Polícia Civil do Maranhão afim de coletar elementos com o fim de agregar a investigação relacionada a crime de tentativa de homicídio ocorrido na cidade de Grajaú. Como resultado da operação batizada de “Alferes”, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, e três mandados de prisão temporária nas cidades de Grajaú e Imperatriz.

No decorrer da operação foram presos temporariamente dois policiais militares do Maranhão e um outro indivíduo, todos suspeitos de participação no crime. Na ocasião, foram apreendidas quatro armas de fogo sem o devido registro e permissão, o que ocasionou a lavratura de três autos de prisão em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, além de outros objetos relevantes para a investigação, tais como celulares e documentos diversos.

A “Operação Alferes” foi realizada em conjunto pelo Ministério Público do Maranhão, através da Promotoria de Grajaú e GAECO, Polícia Civil do Maranhão, através dos Grupos de Pronto Emprego das cidades de Imperatriz, Timon e Caxias, bem como equipe da Senarc de Timon. Além do Maranhão, a operação também foi deflagrada no Estado do Paraná.

Investigador de polícia reage a assalto e é morto a tiros em São Luís

José Francisco foi atingido por dois disparos de arma de fogo

Mais um policial foi vítima de bandidos e infelizmente foi a óbito em São Luís. O investigador José Francisco Sales Neto, da Polícia Civil do Maranhão, morreu nesta quinta-feira (1º), ao reagir a uma tentativa de assalto na Vila Janaína, região da Cidade Operária, na capital.

Sales, de 66 anos, chegou a ser socorrido, após ser baleado por um dos bandidos e dar entrada no Socorrão II, mas não resistiu e faleceu.

A notícia repercutiu e deixou triste colegas de profissão e autoridades da Segurança Pública do Estado.

PC cumpre mandados no Maranhão e em 18 Estados contra rede mundial de pedofilia

Foto Reprodução

CNN As Policiais Civis de 19 Estados realizam nesta terça-feira (18) uma operação para cumprir 68 mandados de busca e apreensão contra pedofilia. As investigações duraram mais de um ano e identificaram uma rede mundial de computadores em que diversos grupos trocavam fotos e vídeos com imagens estarrecedoras de crianças.

“É uma das maiores investigações contra a pedofilia”, disse o delegado Adriano França que chefia a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima do Rio de Janeiro. O trabalho aconteceu após uma análise dos dados até o ano de 2019 do Disque 100 indicando que mais de 86 mil denúncias foram registradas, sendo 17 mil de abusos sexuais.

De acordo com a Polícia Civil do RJ, levando-se em conta o número de subnotificações e o silêncio das vítimas, o número de denúncias é bem maior. Outro dado preocupante se dá em decorrência da pandemia do coronavírus, momento em que a polícia percebeu uma curva crescente de casos.

O objetivo da operação nacional é desbaratar este grupo e que todos respondam criminalmente.

“É dever moral denunciar qualquer tipo de violação dos direitos humanos, em especial, quando as vítimas são crianças e adolescentes, em razão da vulnerabilidade destes seres em formação”, explicou França.

A investigação que resultou na operação nacional contou com o intercâmbio entre as polícias civis dos demais estados, dentre eles, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Paraná e Rio Grande do Sul. A Operação no RJ conta com a participação da força-tarefa de peritos criminais de informática para a análise do conteúdo dos objetos apreendidos. Ao final da operação as polícias fecharão um balanço nacional.

Seguem os números de alvos identificados, por estados, no decorrer da “Operação Lótus”:
Bahia – 5
Ceará – 3
Distrito Federal – 1
Espírito Santo – 3
Goiás – 5
Maranhão – 1
Minas Gerais – 6
Mato Grosso – 2
Pará – 4
Pernambuco – 2
Piauí – 1
Paraná – 1
Rio de Janeiro – 9
Rio Grande do Norte – 1
Rondônia – 1
Rio Grande do Sul – 6
Santa Catarina – 1
Sergipe – 1
São Paulo – 15