Vereador é preso após agredir a namorada no Maranhão

 

Vereador Alberth Sullyvan.

Neste domingo, 16, a Polícia Civil do Estado, por meio da Delegacia de Buriticupu, efetuou a prisão em flagrante do vereador Dr. Alberth Sullyvan.

O suspeito é acusado de Lesão Corporal Qualificada no contexto da Lei Maria da Penha.

Após receber a informação de que a vítima havia sido agredida, a polícia encaminhou-a ao hospital para a realização de um exame de corpo de delito.

O exame confirmou a lesão qualificada e, considerando que a vítima é namorada do vereador, o caso foi enquadrado na Lei Maria da Penha.

Com essas informações, a polícia localizou o vereador e procedeu com sua prisão em flagrante. Dr. Alberth Sullyvan será encaminhado ao sistema prisional e permanecerá à disposição da Justiça.

Portal O Informante 

Prefeito de Palmeirândia tem contas rejeitadas pelo TCE e pode ficar inelegível

Prefeito Edilson da Alvorada

O Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA) desaprovou as contas anuais de 2021 do prefeito de Palmeirândia, Edilson da Alvorada, na última quarta (5).

A análise apontou várias irregularidades, incluindo déficit na execução orçamentária de R$ 2.650.502,03, demonstrando desequilíbrio financeiro; despesas com pessoal excedendo o limite legal de 54% da Receita Corrente Líquida, alcançando 67,94%; aplicação insuficiente dos recursos do FUNDEB na remuneração dos profissionais da educação, com apenas 47,55% utilizados, contra o mínimo legal de 70%; inadequado uso dos recursos da Complementação VAAT na educação infantil, com apenas 21,58% aplicado, em vez do mínimo de 50%.

O TCE determinou o envio do parecer prévio à Procuradoria Geral de Justiça para possíveis ações judiciais e à Câmara dos Vereadores de Palmeirândia para apreciação. Se o Legislativo Municipal seguir a decisão da Corte de Contas maranhense, o prefeito Edilson da Alvorada poderá se tornar inelegível pelos próximos anos.

Veja a decisão do TCE

 

 

Veterinário que matou empresário em clínica de São Luís é condenado a 14 anos de prisão

Foto Reprodução

 

O médico veterinário Daniel Leite Cardoso, de 39 anos, foi condenado a 14 anos de prisão pelo assassinato do empresário Eduardo Viegas Costa. O crime ocorreu na noite de 9 de setembro de 2020, dentro de uma clínica veterinária no bairro Monte Castelo, em São Luís. A sentença foi proferida nesta terça-feira (4), no Fórum Desembargador Sarney Costa, em São Luís.

O julgamento, presidido pelo juiz titular Gilberto de Moura Lima, contou com a presença de seis testemunhas, entre elas Josievelyn Cutrim Mendes, namorada da vítima e também ferida no incidente. A acusação foi conduzida pelo promotor de justiça Rodolfo Reis, enquanto a defesa ficou a cargo do advogado Adriano Cunha.

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), Eduardo Viegas Costa e sua namorada foram à clínica veterinária para buscar seu gato de estimação, internado desde o dia anterior para tratamento de uma doença renal. Daniel Leite solicitou que o animal permanecesse no estabelecimento para finalizar o tratamento, mas Eduardo insistiu em levá-lo a outro veterinário de sua confiança.

A situação escalou quando Eduardo questionou o valor cobrado pelo serviço e pediu uma discriminação detalhada dos procedimentos realizados e das medicações utilizadas, além da nota fiscal e a devolução da diferença do valor dado como caução no dia anterior. A discussão se intensificou e, durante a filmagem do local pelo empresário, Daniel Leite tentou impedir a gravação, resultando em uma briga física.

Em um ato extremo, Daniel Leite disparou nove tiros contra Eduardo Viegas Costa, que morreu no local. Josievelyn Cutrim Mendes, que estava próxima ao namorado, foi atingida na mão, perdendo um dos dedos devido aos disparos.

Além da condenação por homicídio, Daniel Leite também foi sentenciado pelo crime de lesão corporal contra Josievelyn Cutrim Mendes.

Yglésio cobra a cassação do vereador Domingos Paz

deputado estadual Yglésio Moyses

O deputado estadual Yglésio Moyses cobrou um posicionamento firme da Câmara dos Vereadores de São Luís sobre a série de denúncias de estupro contra o vereador Domingos Paz. O pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão nesta quinta-feira, 09.

Recentemente, o deputado compartilhou um vídeo com uma dramatização da leitura de um depoimento de uma das supostas vítimas do vereador. Nos pouco mais de 2 minutos, além do depoimento, Yglésio aparece na gravação cobrando o fim da cultura do estupro e o posicionamento firme das autoridades policiais contra esse tipo de comportamento, considerado crime.

Já na tribuna da Alema, ele trouxe mais relatos estarrecedores de vítimas, incluindo detalhes do estupro de uma adolescente de apenas 13 anos e mais um caso, desta vez, envolvendo sexo pago com homens.
O deputado alegou que esse tipo de comportamento é completamente incompatível com o cargo de vereador e cobrou a Câmara de São Luís pela demora em acolher a denúncia contra Domingos Paz.

A Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara aprovou o relatório aceitando a denúncia na tarde desta quinta-feira, 09 de maio. O relatório segue para o plenário da Casa, que vai se reunir extraordinariamente, ainda hoje, para deliberar se institui uma Comissão Processante com o objetivo de analisar a cassação do mandato do l vereador, que é evangélico, por quebra de decoro.

Na opinião de Yglésio, o mandato do vereador tem que ser cassado.

Promotor de Justiça sequestrado é encontrado em cativeiro em São Luís

Vítima encontrada por policiais civis

Raimundo Reis Vieira, de 85 anos, foi encontrado, por policiais civis do Maranhão, em uma operação que contou com o apoio do GAECO, do Ministério Público estadual, na madrugada desta sexta, 26, em uma casa utilizada como cativeiro na Vila Maracajá, zona rural de São Luís. O Promotor de Justiça aposentado foi sequestrado por dois homens armados no bairro Sol e Mar na última terça, 23 e desde então estava desaparecido.

A PCMA recebeu ligações anônimas sobre o sequestro e localizou a vítima por volta das 3h. Raimundo foi conduzido para a Superintendência Estadual de Investigações Criminais do Maranhão (SEIC-MA) onde familiares já o guardavam.

Além de promotor aposentado, Vieira é empresário e os bandidos estavam exigindo que a família pagasse R$ 200 mil de resgate. Os criminosos ainda não foram localizados. Ontem, três suspeitos foram detidos.

Ontem o MPMA emitiu uma nota sobre o caso que segue sob investigação. Confira:

O Ministério Público do Estado do Maranhão informa que está envidando todos os esforços para solucionar o sequestro do promotor de justiça aposentado Raimundo Reis Vieira.

O procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, designou as equipes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Coordenadoria de Assuntos Estratégicos e Inteligência (Caei) para atuarem em conjunto com a Secretaria de Estado de Segurança Pública, que está conduzindo as investigações.

A instituição acompanha de perto o caso e enfatiza seu compromisso em garantir a segurança do promotor aposentado e o retorno seguro à sua família. O Ministério Público espera que os responsáveis por este ato criminoso sejam identificados e responsabilizados com rigor perante a lei.

Firmemente comprometido com a busca pela justiça, o Ministério Público do Maranhão reitera seu apoio total às autoridades policiais e seu empenho incansável em garantir a segurança e a proteção dos cidadãos.

Promotor de Justiça sequestrado em São Luís segue desaparecido; criminosos exigem R$ 200 mil

Carro abandonado na Cohab

O promotor de Justiça aposentado Raimundo Reis Vieira, de 85 anos, foi sequestrado na tarde desta terça-feira, 23, no bairro Sol e Mar, em São Luís.

Os criminosos, armados e com os rostos cobertos, levaram o promotor em seu veículo, um Toyota SW4 de cor preta, e estão exigindo o pagamento de R$ 200 mil como resgate.

O carro foi encontrado abandonado na Avenida 4 da Cohab por populares. Até o momento, Raimundo Reis não foi libertado, e as buscas continuam para localizá-lo.

O Blog do Minard procurou a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança para obter atualizações, porém não foram divulgadas novas informações a respeito do sequestro.

Com uma canetada, governo Braide promove demissões em massa na Semapa

Prefeito Eduardo Braide

O prefeito Eduardo Braide exonerou em massa diversos funcionários da Secretaria de Agricultura, Pesca e Abastecimento (SEMAPA), afetando posições de nível médio e alto.

A liderança da Semapa estava nas mãos de Liviomar Macatrão, que deixou o cargo no mês passado. Um fato que possivelmente influenciou as recentes demissões.

Na Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), Braide fez novas mudanças com a saída do chefe Joel Júnior. O prefeito exonerou o chefe de gabinete, Pablo Moura; a secretaria Adjunta de Administração e Finanças, Sálvia Azevedo e o assessor  jurídico, Felipe Franco.

Foto Reprodução

Flagrante: polícia prende falsa advogada em Grajaú

Foto Reprodução

Uma ação conjunta envolvendo representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Maranhão (OAB-MA) e a Polícia Civil resultou na prisão em flagrante de Kerly Cristina Caetano dos Santos Silva pela prática não autorizada da advocacia em Grajaú.

Segundo as denúncias, a falsa advogada, que não teve a identidade revelada, se passava por especialista em direito previdenciário. Além disso, ela divulgava em redes sociais fotos de indivíduos que seriam seus clientes, juntamente com os benefícios sociais que teriam sido obtidos através de sua atuação ilegal.

Ex-vereador de Codó é liberado sob fiança após atropelar e matar ex-parlamentar

O ex-vereador Emílio Matos foi solto após pagar uma fiança e responderá em liberdade pelo crime de homicídio culposo.

O acidente que resultou na morte do também ex-vereador  Manoel das Graças de Oliveira Ximenes, conhecido como ‘Seu Ximenes’, ocorreu em Codó, no último sábado (23).

Matos, que é advogado, perdeu o controle do veículo e atingiu Ximenes, que estava próximo à calçada<. Segundo a polícia, ele apresentava sinais de embriaguez.

Manoel Ximenes foi vereador de Codó de 1989 a 1992 e também ocupou o cargo de secretário de Serviços Públicos.

Banco Santander aciona a justiça para cobrar dívida de R$ 5 mi da Prefeitura de Santa Luzia

Prefeita França do Macaquinho

Afastada do cargo desde o dia 22 de fevereiro por desvio de R$ 63 milhões no município de Santa Luzia (veja aqui), a prefeita França do Macaquinho é acionada na justiça pelo Banco Santander.

A instituição financeira tomou medidas legais para recuperar uma dívida no montante de R$ 5.007.733,38 (cinco milhões, sete mil, setecentos e trinta e três reais e trinta e oito centavos).

De acordo com informações, essa dívida está relacionada ao não repasse dos valores de empréstimos consignados pelo município de Santa Luzia.

A prefeitura recorreu da sentença que determinou a devolução de mais de 5 milhões de reais ao banco autor de uma ação reipersecutória. O relator do caso concedeu o efeito suspensivo até o julgamento do recurso de apelação.

Parece que esse problema é recorrente na gestão de França do Macaquinho, que recentemente foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão. Segundo a sentença, a prefeita deixou de repassar as contribuições previdenciárias ao Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos de Santa Luzia (IPRESAL), tanto da parcela “patronal” quanto a dos servidores e aposentados, no período de janeiro de 2017 a dezembro de 2021. O valor total não repassado foi de R$ 64.081.039,86 (sessenta e quatro milhões, oitenta, trinta e nove reais e oitenta e seis centavos). A gestora também foi condenada a pagar uma multa equivalente ao valor desviado e ficou proibida de se candidatar a cargos públicos por oito anos.