Covid: Governo federal adota 7 dias de quarentena; Maranhão mantém 10 dias

Foto Reprodução

CNN A quarentena de sete dias para pessoas com quadros leves de Covid-19 recomendada pelo Ministério da Saúde será adotada por ao menos 13 Estados e pelo Distrito Federal, de acordo com um levantamento da Agência CNN.

A orientação do Ministério da Saúde é de que o isolamento deverá ser feito por sete dias, desde que a pessoa não apresente sintomas respiratórios e febre há pelo menos 24 horas – sem a utilização de antitérmicos.

Nos casos em que a partir do quinto dia o resultado do teste seja negativo e a pessoa não apresente sintomas nas últimas 24 horas, a recomendação da pasta é que a quarentena seja encerrada mais cedo.

Os estados de São Paulo, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro já adotaram a recomendação do Ministério da Saúde.

Espírito Santo, Roraima, Ceará, Amapá, Minas Gerais, Paraíba, Amazonas, Goiás e o Distrito Federal informaram que devem reduzir o tempo de isolamento, mas aguardam orientações técnicas da pasta.

Quatro estados afirmaram que vão manter a quarentena de 10 dias, quaisquer sejam os casos. São eles: Bahia, Maranhão, Santa Catarina e Tocantins.

Outros nove estados não responderam aos questionamentos da CNN.

Governo do MA retoma obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados

Foto Reprodução

Voltou a ser obrigatório, a partir desta sexta-feira (7), o uso de máscaras faciais em locais fechados, em todo o Estado do Maranhão.

A medida consta no novo Decreto de N° 37.362 publicado pelo governador Flávio Dino que elaborou mais um Plano de Contingência com medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública decorrentes da covid-19.

No mesmo documento o governo decretou estado de calamidade pública em todo território maranhense.

Confira a íntegra: Decreto-37.362-de-7-de-janeiro-de-2022

Brasil registra 1ª morte por ômicron em Goiás: um idoso de 68 anos

Foto Reprodução

G1 Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, registrou a 1ª morte pela variante ômicron da Covid-19 no Brasil. A informação foi divulgada pela prefeitura na tarde desta quinta-feira (6). A vítima é um idoso de 68 anos portador de doença pulmonar obstrutiva crônica e hipertensão arterial.

O Ministério da Saúde confirmou que foi notificado do primeiro óbito causado por variante ômicron pela secretaria de saúde de Aparecida e que essa é a primeira morte pela variante no país notificada ao MS.

Vítima da ômicron

De acordo com a prefeitura, o idoso começou a ter tosse, dispneia e desconforto respiratório no dia 20 de dezembro de 2021. Dois dias depois, ele deu entrada e foi internado em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. No dia 26 de dezembro ele transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal, mas morreu no dia seguinte após um choque séptico.

A prefeitura solicitou no dia 28 a amostra do RT-PCR do paciente para sequenciamento genético. O resultado positivo saiu nesta quinta-feira.

O idoso estava vacinado com três doses, segundo a prefeitura. Especialistas explicam que a vacinação contra a Covid-19 reduz o risco de morte pela doença e suas variantes. Eles afirmam ainda que os imunizantes disponíveis contra o coronavírus são para evitar o agravamento dos casos, mas que não há garantia de que possam impedir a reinfecção.

A prefeitura informou ainda que o idoso tinha tido contato com um morador que a Secretaria Municipal de Saúde já havia confirmado como infecção pela variante.

A confirmação do primeiro óbito ocorre dez dias após a declaração de transmissão comunitária na cidade. Até esta quinta-feira, o município já confirmou 55 casos de ômicron. A prevalência da variante alcançou a casa dos 93,5%.

Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na quarta-feira (5), o país tem 265 casos confirmados de ômicron e há outros 520 em análise.

Com o aumento de casos de Covid, Semapa suspende Feirinha São Luís

Feirinha São Luís

A Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) informou que devido o aumento de casos da Covid-19 e o surto de gripe em nossa cidade, as atividades da Feirinha São Luís estão suspensas a partir deste domingo (9). ‘Retornaremos com a Feirinha assim que as condições sanitárias permitirem a realização do evento de forma segura para a população.’

Covid-19: Governador decreta estado de calamidade pública em todo Maranhão

Governador Flávio Dino

O governador Flávio Dino (PSB), emitiu na última segunda-feira (3), e vai ser publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (6), um decreto que declara estado de calamidade pública em todo o Estado do Maranhão. A informação foi confirmada pelo secretário Chefe da Casa Civil, Diego Galdino.

De acordo com o documento obtido pelo Blog Diego Emir, a validade do estado de calamidade pública vai até o dia 31 de março e todas as Secretarias e órgãos devem garantir os esforços necessários para combater a covid-19, assim como garante regime de urgência e prioridade em toda estrutura administrativa do executivo estadual.

O estado de calamidade pública é baseado em um parecer técnico da Coordenadoria estadual de Proteção e Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros do Maranhão, que leva em conta o aumento de casos da covid-19 em todo o país e no Maranhão, assim como o surgimento da nova variante Ômicron.

Estado de saúde

Ainda de acordo com Diego Galdino, o governador Flávio Dino segue em isolamento por conta da covid-19, mas está reagindo muito bem ao tratamento da doença, apresentando apenas sintomas leves.

VEJA O DECRETO N° 37.360 DE 03.01.2022 NA ÍNTEGRA AQUI

Do Blog do Diego Emir

Com covid-19, Dino conclui exames, deixa hospital e retoma isolamento

Governador Flávio Dino

NOTA – O Hospital São Domingos e a Secretaria de Estado de Comunicação informam que, em face do diagnóstico de COVID-19, o governador Flávio Dino deu entrada na manhã de hoje (4) no Hospital São Domingos para a realização de exames de forma eletiva. Após a conclusão dos exames, o governador foi liberado e retornou ao isolamento domiciliar.

URGENTE! Governador Flávio Dino testa positivo para a Covid-19

Carlos Lula quer “jogar areia” no Carnaval de 2022

Carlos Lula, Secretário de Saúde

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde e secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, diz que “seria prudente cancelar o carnaval no Brasil”.

Carlos Lula prevê a Ômicron como variante dominante no país em poucos dias.

No Rio de Janeiro, o governador Claudio Castro, que está com covid, consultou especialistas sobre o que disse ser uma decisão praticamente tomada: suspender o carnaval de rua, os blocos, no Rio. Manter a Sapucaí com protocolos. A informação é da CNN.

O governador Flávio Dino afirmou que o posicionamento sobre a festa deve ocorrer apenas no fim de janeiro. “Programação do Governo do Maranhão será analisada no final de janeiro, à vista dos indicadores epidemiológicos”, disse.

Do Blog do John Cutrim

Prefeitura vai exigir máscara e implantar passaporte vacinal em Caxias

Reunião do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Novo Coronavírus de Caxias

A Prefeitura de Caxias, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está trabalhando para editar um novo Decreto Municipal com medidas preventivas contra as síndromes gripais, que também previnem a disseminação da covid-19, considerando a frequente busca pelas unidades de atendimento na cidade.

A coordenação de Vigilância Sanitária informa que o Decreto Municipal vai exigir o uso obrigatório de máscara, assim como o passaporte vacinal, que é o documento de comprovação da imunização contra a covid-19.

“Um novo decreto está sendo editado, e vamos retomar o uso obrigatório de máscara em locais públicos ou privados, além de reforçar os protocolos sanitários de prevenção contra a covid-19, implantando o passaporte vacinal em nosso município”, afirma Alanessa Macêdo, coordenadora da Vigilância Sanitária de Caxias (MA).

O Comitê de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19 destaca a importância da prevenção com o novo surto de síndromes gripais.

As unidades hospitalares registraram o aumento de pacientes sintomáticos e o nosso pedido é que a população busque as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para o primeiro atendimento. Essa ação evita aglomerações nos hospitais, o que reduzirá a transmissão”, destaca Camila Lopes, integrante do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Novo Coronavírus de Caxias (MA).

A coordenação da Vigilância Epidemiológica reforça as medidas necessárias para esse novo momento.

Nós estamos alertando a população que não é hora de relaxarmos com a prevenção. Temos que usar máscara, higienizar as mãos e evitar as aglomerações. Retomaremos os cuidados que tínhamos no início e reforçaremos a vacinação”, disse Verônica Aragão, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

As UBSs estão realizando atendimentos diariamente para melhor assistir a população caxiense.

“As UBSs funcionam de segunda a sexta-feira, pela manhã, a tarde e algumas à noite e nos finais de semana. Caso identifique os primeiros sintomas de síndromes gripais busque a UBS mais próxima. Nós estamos fazendo a testagem para covid-19, além da vacinação tanto contra a covid-19, quanto contra a Influenza”, destaca Rubenilson Luna, coordenador da Atenção Primária e Vigilância em Saúde.

A Secretária Municipal de Saúde, Mônica Gomes, conclama a população para participar deste esforço conjunto de enfrentamento tanto da covid-19, quando do vírus H3N2, que é uma variante do vírus Influenza A, sendo um dos principais responsáveis pela gripe comum e pelos resfriados, facilmente transmitida se as pessoas não se prevenirem.

Nós estamos orientando as pessoas e pedimos que participem conosco do enfrentamento dessa nova demanda, indo às UBSs antes dos hospitais, e também intensificando as ações de vacinação, que estão sendo disponibilizadas em todo o município”, frisa Mônica Gomes, secretária municipal de saúde.

Heleno critica demora de vacina brasileira e diz que 2022 será “cruel”

General Augusto Heleno

Metrópoles O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou que o Brasil tem uma perspectiva “cruel” para 2022 por não produzir uma vacina contra a Covid. Heleno fez a declaração nesta terça-feira (14/12), na formatura do Curso de Aperfeiçoamento e Inteligência, para agentes já em atividade na Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

O áudio do discurso foi obtido pela coluna. Na fala, Heleno também afirmou que precisa tomar remédios psiquiátricos “na veia” diariamente para não levar Jair Bolsonaro a tomar “uma atitude mais drástica” contra o STF. O general disse ainda que está “muito preocupado” e rezará para que o presidente não sofra um atentado fatal em 2022.

“A guerra pela venda de vacinas é uma guerra suja, é uma guerra movida a muito dinheiro, como nunca houve no mundo tanto dinheiro disponível. Isso está sendo disputado palmo a palmo. Isso significa uma hegemonia mundial. E o Brasil está correndo atrás. Já comentou várias vezes que está produzindo a vacina, não sei o quê, mas está passando o tempo da pandemia e a vacina brasileira ainda não está disponível”, disse Heleno.

Na sequência, o general afirmou:

Então nós estamos gastando dinheiro que nem temos para poder manter esse nível de vacinação que nós temos hoje, invejável, porque nós não somos produtores da vacina. Um nível invejável de vacinação. Então nós estamos caminhando para um ano extremamente difícil no Brasil. Poucos países têm uma perspectiva tão cruel de 2022 quanto o Brasil”.

Em março, Bolsonaro afirmou em cadeia de rádio e TV que o país seria autossuficiente na produção de vacinas contra a Covid “em poucos meses”, o que não aconteceu.

Das 16 iniciativas de imunizantes que receberam apoio da Rede Vírus do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), apenas uma terminou.

Outras quatro que foram aprovadas e estavam prestes a começar os testes clínicos tiveram de adiar os testes devido à falta de incentivo público.

Questionado pela coluna sobre suas declarações, Augusto Heleno disse: “O GSI deixa de se manifestar por tratar-se de demanda que aborda o assunto fora de contexto”.