Lula e Alckmin avaliam lançamento de chapa presidencial em 9 de abril

Alckmin e Lula

CNN O PT e o PSB avaliam promover no dia 9 de abril o evento de lançamento da dobradinha eleitoral entre Luiz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin para a disputa presidencial deste ano.

A ideia discutida entre as duas siglas é que o evento seja promovido em São Paulo, com discursos de ambos, e com as presenças de lideranças de esquerda e representantes da sociedade civil.

Na próxima quarta-feira (23), o PSB promoverá na capital federal evento de filiação do ex-governador paulista ao partido. Segundo relatos feitos à CNN, o PT informou ao PSB que o ex-presidente petista não irá comparecer.

E de acordo com essas fontes, na avaliação de dirigentes das duas legendas, a ausência de Lula se deve a uma avaliação de que o protagonista do evento é Alckmin e que a presença do petista poderia tirar os holofotes do ex-tucano.

De acordo com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, além de Alckmin, devem se filiar ao PSB na próxima quarta-feira (23) o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSDB), e o senador Dário Berger (MDB-SC). Eles devem ser candidatos a governador pelo Maranhão e por Santa Catarina, respectivamente.

Os quatro governadores da legenda confirmaram presença no evento de filiação de Alckmin, que deve ter também o comparecimento de aliados do ex-governador de São Paulo.

Alckmin confirma filiação ao PSB para ser vice de Lula e lembra Eduardo Campos

eraldo Alckmin e Lula (Foto: Ricardo Stuckert | Reprodução)

247 O ex-governador Geraldo Alckmin confirmou pelo Twitter nesta sexta-feira (18) que se filiará ao PSB. O ingresso na sigla é um passo importante para a formalização da aliança entre o ex-tucano e o ex-presidente Lula (PT).

Alckmin deve ser anunciado em breve como candidato a vice-presidente na chapa presidencial do petista.

“O tempo da mudança chegou! Depois de conversar muito e ouvir muito eu decidi caminhar com o Partido Socialista Brasileiro – PSB. O momento exige grandeza política, espírito público e união. A política precisa enxergar as pessoas. Não vamos deixar ninguém para trás. Nosso trabalho para ajudar a construir um país mais justo e pronto para o enfrentamento dos desafios que estão postos está só começando”, declarou pela rede social.

Banner publicado por Alckmin cita frase do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo durante a campanha eleitoral de 2014: “não vamos desistir do Brasil”. Ele era do PSB.

A expectativa é de que o evento de filiação aconteça na próxima quarta-feira (23) em Brasília.

Lewandowski suspende ação contra Lula por compra de aviões-caça suecos

Caça F-39E Gripen, da FAB

CNN O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quarta-feira (2) a suspensão da ação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) envolvendo a compra de aviões-caça Gripen, de uma empresa sueca.

Lewandowski atendeu a um pedido feito pela defesa de Lula.

Segundo o ministro, há “plausibilidade das alegações referentes ao cometimento de atos comissivos e omissivos, eivados pelos vícios da suspeição e incompetência, por parte dos Procuradores da República indigitados pela defesa”, o que, de acordo com Lewandowski, já foi reconhecido em outros processos no STF.

Não é possível ignorar, pois, que os Procuradores República responsáveis pela denúncia referente à compra dos caças suecos agiam de forma concertada com os integrantes da “Lava Jato” de Curitiba, por meio do aplicativo Telegram, para urdirem, ao que tudo indica, de forma artificiosa, a acusação contra o reclamante, valendo lembrar que investigações do mesmo jaez, relativas aos casos “Triplex do Guarujá” e “Sítio de Atibaia”, foram consideradas inaproveitáveis pelo Supremo Tribunal Federal, por afronta, dentre outros, aos princípios constitucionais do devido processo legal, da ampla defesa e do contraditório”, afirmou o ministro na decisão.

Lula é acusado de ter cometido suposto tráfico de influência em troca de dinheiro na compra, pelo governo brasileiro, de 36 aviões-caça de uma empresa sueca. À época, ele já não era mais presidente da República.

Segundo o Ministério Público, ele teria indicado que poderia influenciar a então presidente Dilma Rousseff a comprar os aviões da empresa sueca SAAB, e não os da empresa francesa Dassault.

PV fecha apoio a Lula e vai entrar na Federação Partidária com PT

Foto Reprodução

247 O Partido Verde (PV) fez reunião ontem (20) com presidentes estaduais da sigla e fechou apoio à candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República.

Além disso, o PV irá participar nas negociações da formação da Federação Partidária. O PT está em conversas também com PSB, Psol e PCdoB.

O PV possui, na contagem mais recente, 361.452 eleitores filiados. Surgiu na década de 1980 baseado nas tendências ambientalistas.

VÍDEO: Lula e Alckmin reúnem grupo político em jantar chique em SP

Alckmin e Lula em jantar em São Paulo

PODER 360 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido) dividiram a mesma mesa durante jantar organizado pelo Grupo Prerrogativas em São Paulo neste domingo (19.dez.2021) no restaurante A Figueira Rubayat. É o 1º encontro dos antigos rivais políticos desde que aliados começaram a costurar nos bastidores a possibilidade de o ex-tucano ocupar a vice na candidatura presidencial de Lula em 2022.

Juntaram-se à mesa da dupla:

  • o ex-prefeito e ex-ministro Fernando Haddad (PT);
  • o ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB);
  • o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB);
  • o prefeito de Recife, João Campos (PSB);
  • a ex-prefeita e atual secretária municipal de Relações Internacionais de São Paulo, Marta Suplicy;
  • os advogados de Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins.

Também estiveram no jantar o governador da Bahia, Rui Costa (PT), o ex-prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio Neto (PSDB), os deputados Alessandro Molon (PSB-RJ), Marcelo Freixo (PSB-RJ), Marília Arraes (PT-PE) e o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (sem partido-RJ) e os senadores Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Integrantes do governo de Dilma Rousseff (PT) como os ex-ministros José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante  e os presidentes de partidos como Gleisi Hoffmann (PT), Gilberto Kassab (PSD), Carlos Siqueira (PSB) e Paulinho da Força (Solidariedade) também compareceram.

Confira imagens:

“É um evento político muito amplo que reúne gente que vai da centro-direita até a esquerda. É o sonho de qualquer um que quer despolarizar o país”, disse o cientista político Alberto Carlos Almeida, que esteve no jantar, ao Poder360.

Jantar que reunirá Lula e Alckmin lota e tem fila de espera de 300 pessoas

Alckmin e Lula

Por Mônica BergamoO jantar do grupo Prerrogativas, que deve reunir Lula e Geraldo Alckmin pela primeira vez em público no domingo (19), lotou: mais de 500 convites foram vendidos e 40 jornalistas, de televisão, revistas e jornais, foram credenciados.

FILA

Uma fila de espera acabou se formando: cerca de 300 pessoas tentaram comprar convite e não puderam ser atendidas porque a capacidade do restaurante A Figueira Rubayat de abrigar pessoas chegou no limite. Algumas compras eletrônicas tiveram que ser devolvidas.

FILA 2

Regras sanitárias foram estabelecidas: será exigido passaporte vacinal na entrada e exame recente de Covid-19.

MÃOS DADAS

O grupo Prerrogativas, que reúne advogados, juristas, defensores públicos, juízes e procuradores, se notabilizou por críticas à Operação Lava Jato _e em especial ao juiz Sergio Moro. Criado para defender o direito de defesa, acabou se manifestando também sobre temas como racismo e liberdade de expressão.

CÂMARA, AÇÃO

No auge da epidemia de coronavírus, o grupo realizava lives semanais e chegou a entrevistar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) como Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Edson Fachin e Alexandre de Moraes, além do procurador-geral da República, Augusto Aras, e políticos de diversos partidos, como Renan Calheiros e Arthur Lira.

DOAÇÃO

Os recursos arrecadados com a venda de convites (cada um custou R$ 500) serão destinados, em parte, à campanha Tem Gente com Fome, liderada pela Coalizão Negra por Direitos, que já entregou mais de 40 mil cestas básicas na epidemia.

2º turno Datafolha: Lula tem 56%, Bolsonaro 31%

Lula e Bolsonaro. Foto Reprodução

O Instituto Datafolha divulgou hoje (17) mais uma pesquisa referente à eleição presidencial de 2022.

Lula segue na liderança e venceria Bolsonaro no segundo turno. No levantamento  o ex-presidente petista obteve 56% contra 31% do atual presidente.

Vale ressaltar que Lula também venceu nas simulações de disputa com os outros candidatos no segundo turno. Já Bolsonaro perde em todos os cenários apresentados na pesquisa que ouviu 3.667 pessoas entre os dias 13 e 15 de setembro em 190 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Confira mais detalhes da pesquisa Datafolha AQUI

Lula é inocentado no caso do sítio de Atibaia

Ex-presidente Lula

A Juíza Federal Pollyanna Kelly Maciel Martins Alves, da 12ª Vara Federal de Brasília, rejeitou denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), acusado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso que ficou conhecido como sítio de Atibaia. A decisão foi dada no final da tarde do último sábado (21).

Na decisão, a magistrada negou pedido de Frederico Paiva, procurador da República, para que a ação penal contra Lula fosse reiniciada e justificou ao dizer que o MP não havia apresentado provas para recomeçar a ação.

A justa causa não foi demonstrada na ratificação acusatória porque não foram apontadas as provas que subsistiram à anulação procedida pelo Supremo Tribunal Federal”, diz trecho da decisão.

Em abril, o processo originário, instaurado em Curitiba, foi anulado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que considerou o ex-juiz federal Sérgio Moro parcial ao julgar o petista.

Lula era acusado de usar as construtoras OAS e Odebrecht nas obras do sítio. Em troca, as empresas seriam beneficiadas em contratos públicos.

“Os elementos de provas consubstanciadores de indícios de autoria e materialidade delitivas, é ônus e prerrogativa do órgão da acusação, sendo vedado ao magistrado perquiri-las, sob pena de se substituir ao órgão acusador, o que violaria o sistema acusatório vigente no ordenamento jurídico, corolário da ampla defesa, do contraditório e do devido processo legal”, diz a magistrada.

Além de Lula, todos os outros denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) como os ex-presidentes da OAS Léo Pinheiro e da Odebrecht Marcelo Odebrecht no caso do sítio de Atibaia tiveram denúncia rejeitada pela juíza.

A juíza aboliu as punições de todos os envolvidos com mais de 70 anos de idade. Além de Lula, de 75 anos, foram beneficiados Emílio Odebrecht (dono da construtora que leva seu nome), Léo Pinheiro (ex-presidente da construtora OAS), Carlos Armando Paschoal e Alexandrino Alencar (ambos ex-diretores da Odebrecht).

Eles foram condenados em segunda instância, mas a decisão foi revertida pelo ministro Edson Fachin, do STF, que anulou em março deste ano todas as condenações da 13ª Vara Federal de Curitiba. A decisão tornou Lula elegível e fez com que o caso do sítio de Atibaia e os demais processos que envolviam Lula fossem remetidos para a Justiça de Brasília.

A defesa provou que Lula nunca recebeu dinheiro da Odebrecht para pagar reformas no sítio, que também nunca foi dele. A transferência de R$ 700 mil da Odebrecht, alegada na denúncia, foi na realidade feita para um diretor da empresa, não para obras no sítio. Caso anulado pelo STF, restabelecendo a inocência de Lula”, diz nota da defesa.

Os advogados do petista dizem ainda que “o caso não reunia condições mínimas para que fosse reaberta a ação penal, além da suspeição do procurador da República que subscreveu petição para retificar a denúncia oferecida pelos procuradores de Curitiba — sem qualquer referência ao caso concreto e fazendo referência a pessoas que não tinham qualquer relação com o caso do ‘sítio de Atibaia’”.

Para a defesa, “a sentença que rejeitou a reabertura da ação do ‘sítio de Atibaia’ contra Lula soma-se a outras 16 decisões judiciais nas quais Lula foi plenamente absolvido ou teve processos arquivados”.

Leia mais em CNN

Movimento lança campanha em defesa às pré-candidaturas de Dino e Lula

Lula e Dino

A União da Juventude Socialista (UJS) do Maranhão antecipou-se ao período eleitoral e lançou uma campanha em que defende as pré-candidaturas do governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), ao Senado e de Lula (PT) à Presidência da República.

O PSB, que recebeu Dino recentemente, não crava quem vai apoiar na disputa pelo Palácio do Planalto. Em entrevista a CartaCapital no último mês, o presidente da sigla, Carlos Siqueira, afirmou que “tudo indica” que o partido apoiará o petista.

Lula tem a menor rejeição [ na pesquisa IPEC], espero que se mantenha assim. A polarização contra Bolsonaro está dada e dificilmente será alterada. Eu disse ainda ontem que o PSB apoiará aquele que tiver condições de liderar essa Frente Ampla e tudo indica que seja o Lula. Se for, estaremos lá”, disse à época.

Para aumentar o apoio, a UJS colocou no ar nas últimas semanas o site Todos com Dino onde é possível assinar um manifesto em defesa dos dois políticos.

O objetivo é promover uma defesa do Dino, que vinha sendo atacado pelo presidente e seus aliados”, diz Eduardo Correa da UJS. “A trajetória dele aqui no estado é fantástica e isso inspira muita gente. O Todos Com Dino tem o objetivo de reunir a turma que gosta dele”, acrescenta.

Para Correa, o objetivo maior é a formação de uma Frente Ampla no ano que vem para derrotar o bolsonarismo.
Dino tem condições de ser um dos interlocutores dessa frente, como já fez em 2014. É a maior liderança formada no Brasil desde Lula”, afirma o integrante do movimento.

Conheça a página ‘Todos com Dino’

CARTA CAPITAL

Lula (49%) venceria Bolsonaro (23%) no 1º turno, aponta pesquisa

Bolsonaro e Lula

Uma nova pesquisa divulgada nesta sexta (25), pelo Ipec, mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria a eleição presidencial de 2022 no 1º turno, caso  a disputa fosse hoje, com 11 pontos percentuais a mais que a soma de seus possíveis adversários.

No levantamento realizado entre os dias 17 e 21 deste mês com 2.002 pessoas em 141 municípios, Lula obteve 49% da intenções de votos. O presidente Bolsonaro (sem partido) aparece em segundo lugar com 23%, senador Ciro Gomes (PDT) com 7%, o governador João Doria (PSDB) com 5%, o ex ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) com 3%.  Brancos e nulos somam 10%. Não sabem ou não responderam, 3%.

Foto Divulgação

A pesquisa tem margem de erro de 2 pontos para mais e para menos e nível de confiança de 95%.