Lula (49%) venceria Bolsonaro (23%) no 1º turno, aponta pesquisa

Bolsonaro e Lula

Uma nova pesquisa divulgada nesta sexta (25), pelo Ipec, mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria a eleição presidencial de 2022 no 1º turno, caso  a disputa fosse hoje, com 11 pontos percentuais a mais que a soma de seus possíveis adversários.

No levantamento realizado entre os dias 17 e 21 deste mês com 2.002 pessoas em 141 municípios, Lula obteve 49% da intenções de votos. O presidente Bolsonaro (sem partido) aparece em segundo lugar com 23%, senador Ciro Gomes (PDT) com 7%, o governador João Doria (PSDB) com 5%, o ex ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) com 3%.  Brancos e nulos somam 10%. Não sabem ou não responderam, 3%.

Foto Divulgação

A pesquisa tem margem de erro de 2 pontos para mais e para menos e nível de confiança de 95%.

Zelotes: Juiz federal absolve Lula em ação por corrupção passiva

Ex-presidente Lula

O juiz federal Frederico Botelho de Barros Viana, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, decidiu nesta segunda-feira (21) absolver o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro Gilberto Carvalho e outros cinco acusados em um processo por corrupção relacionado à operação Zelotes.

A acusação era de que Lula teria editado uma medida provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de recebimento de propina. De acordo com o Ministério Público, R$ 6 milhões teriam sido prometidos pelos empresários para financiar campanhas do PT.

A denúncia do MP foi aceita em 2017 e, desde então, os sete acusados eram réus no processo – os políticos, por corrupção passiva, e os empresários, por corrupção ativa. Além de Lula, foram absolvidos:

Gilberto Carvalho (ex-ministro e ex-chefe de gabinete de Lula)
José Ricardo da Silva (ex-conselheiro do Conselho Administrativo da Receita Federal)
Alexandre Paes dos Santos (lobista)
Paulo Arantes Ferraz (ex-presidente da MMC – Mitsubishi)
Mauro Marcondes Machado (empresário)
Carlos Alberto de Oliveira Andrade (empresário do Grupo Caoa)
Em depoimento no ano passado, o ex-presidente Lula havia negado a existência de favorecimento a montadoras na edição da medida provisória 471, de 2009.

Na decisão, o juiz da 10ª Vara Federal do DF afirma que o próprio MP apontou à Justiça a falta de provas para justificar uma condenação no caso.

De acordo com o Ministério Público, não há “robustos indícios de favorecimento privado” e nem evidências mínimas do suposto repasse de R$ 6 milhões para Lula ou Gilberto Carvalho.

Para o juiz Frederico Viana, a denúncia recebida em 2017 “carece de elementos, ainda que indiciários, que possam fundamentar, além de qualquer dúvida razoável, eventual juízo condenatório em desfavor dos réus“.

Tomando por base tais conclusões, mostra-se prudente e razoável o pronunciamento de sentença absolutória antes mesmo da apresentação das alegações finais pelas defesas dos acusados, evitando-se maiores constrangimentos à legítima presunção de inocência destes e promovendo o encerramento de um pleito acusatório que, após longa e profunda instrução, mostrou-se carente de justa causa para fins condenatórios“, diz o magistrado.

Os advogados Pierpaolo Cruz Bottini, Leandro Racca e Stephanie Guimarães, que defenderam Gilberto Carvalho na ação, afirmaram em nota que “a decisão chancela o que a defesa sempre sustentou: não existiu qualquer ato ilícito na conduta de Gilberto Carvalho, que sempre agiu na mais estrita legalidade e na proteção do interesse público”.

Do G1

Dino diz que ida ao PSB é ‘possibilidade’ e que Lula virá ao Maranhão

Flávio Dino, Governador do Maranhão

O governador do Maranhão, Flávio Dino, disse nesta segunda-feira (14) à Rádio Bandeirantes que deixar o PCdoB para se filiar ao PSB é uma “possibilidade” e não uma “decisão”. Para cravar a mudança, ele aguarda a tramitação na Câmara dos Deputados do projeto que cria as chamadas federações partidárias.

Se for aprovado, o projeto permitirá que dois ou mais partidos se unam em uma “federação” que passaria a atuar, na prática, como se fosse uma única sigla. Ele é considerado uma tentativa de salvar partidos com representações menores no Congresso, como Cidadania, PV, Rede, PTB e o próprio PCdoB, já que atuaria como uma maneira de driblar a cláusula que permite acesso ao fundo partidário e ao horário eleitoral gratuito apenas às legendas que atingirem ao menos 2% dos votos válidos para deputado na eleição do próximo ano. O texto já passou no Senado.

Estou vendo ainda. Tem que definir antes as regras jurídicas da eleição. Na semana passada houve uma votação na Câmara de um projeto que cria as federações partidárias, permitindo a união de partidos. Vamos esperar essa votação para definir. Não há muita agonia porque temos prazo, mas a questão principal é essa: convergir, unir e ver quais são as regras do jogo. [A ida ao PSB] é uma possibilidade, ainda não é uma decisão”, explicou Dino.

Neste momento, temos 30 partidos representados no Congresso. Então qualquer ideia de união eu acho positiva. O Brasil não pode conviver com apenas dois partidos, isso foi tentado no regime militar com MDB e Arena e não deu certo. Por outro lado, 30 é demais”, completou o governador.

Na última semana, o deputado federal Marcelo Freixo deixou o PSOL para se filiar ao PSB. A migração foi considerada o primeiro passo de Freixo rumo à disputa pelo governo do estado do Rio de Janeiro nas eleições de 2022. Já a migração de Dino seria visando uma vaga no Senado Federal, embora seu nome tenha sido levantado também como possível vice de uma eventual chapa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à presidência.

Tenho falado com Lula, mas jamais sobre isso. Esse debate é para 2022. Na semana passada mesmo conversamos sobre uma viagem que ele fará ao Maranhão, mas nada nesse sentido. Tenho cuidado dessas emergências da pandemia. E tenho trabalhado mais com a ideia de pré-candidatura ao Senado. Essa é a tendência mais forte.”

BAND UOL – Blog do Datena

Justiça arquiva inquérito sobre palestras e desbloqueia bens de Lula

Ricardo Stuckert
Lula tem sido chamado de Lulinha nas redes sociais

A magistrada também mandou desbloquear bens do espólio da ex-primeira-dama Marisa Letícia. O caso era investigado desde 2015 pela força-tarefa da Lava Jato do Paraná. Em decisão, Gabriela afirmou que a Polícia Federal não encontrou indícios de que os pagamentos pelas palestras foram feitos com dinheiro de origem ilícita, como apontava o Ministério Público Federal.

A justificativa para manter-se o bloqueio da integralidade dos ativos financeiros de Luiz Inácio da Silva baseava-se na suspeita da prática de crimes envolvendo as palestras ministradas pelo ex-presidente. Todavia, a autoridade policial concluiu não haver indícios nesse sentido, com o que concordou o MPF. Por tais motivos, o bloqueio integral de tais valores não mais se sustenta”.

Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, afirmou que a apresentação de denúncias “sem materialidade, que visam transformar atos manifestamente lícitos em ilícitos, é uma das principais táticas de lawfare. Essa vitória jurídica tardia é mais uma oportunidade para reflexão sobre o fenômeno usado pela ‘Lava Jato’”. O desbloqueio de bens atinge apenas a parte relativa ao espólio da ex-primeira-dama, que morreu em 2017.

Quanto aos imóveis, foram submetidos à constrição somente a parte ideal de 50%, relativa à meação de Luiz Inácio Lula da Silva, a qual fica mantida. A outra metade, correspondente à meação do Embargante, já foi resguardada. Autorizo que a posse de referidos imóveis permaneça com o Ex-Presidente e/ou com seus prepostos, até ulterior decisão judicial”, disse a juíza. Gabriela Hardt determinou o desbloqueio de 50% dos valores da previdência de Lula. Também permitiu a venda de dois veículos do ex-presidente mediante depósito de 50% do valor de cada um deles em juízo.

O ex-presidente Lula foi acusado de usar as palestras para receber propina das empresas na 24ª fase da Operação Lava Jato. Apoiadores sempre afirmaram que o ex-presidente nada fez de diferente de uma infinidade de outras autoridades, que passaram a ganhar dinheiro após deixarem o cargo fazendo conferências, incluindo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Dar palestras também é conhecida por ex-presidentes de outros países. No mês de julho de 2019, a CNN noticiou que o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, faturou US$ 89 milhões com palestras após deixar a Casa Branca. Nas redes sociais, o Instituto Lula afirmou que “entre 2011 e 2015, o ex-presidente fez palestras ao redor do mundo para mais de 40 empresas. Depois de anos de perseguição, PF e MP não conseguiram apresentar nenhuma acusação inventada em torno delas”.

O ex-presidente também se manifestou pelas redes sociais.

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada Gleisi Hoffmann, afirmou que “agora cabe ao STF votar a suspeição desse ex-juizeco e Lula reaver seus direitos políticos”, se referindo às decisões anteriores de Sergio Moro. “Precisamos esperar 5 anos mas taí, a justica tarda mas não falha. Está desmontada mais uma tese de Dallagnol e Moro que armaram uma tramoia jurídica contra Lula”, escreveu ela no Twitter. (com Diário do Centro do Mundo)

Bolsonaro chama Lula de ‘filho do capeta’ e dispara: “Se esse cara voltar, nunca mais vai sair”

Lula e Bolsonaro. Foto Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro soltou hoje mais uma daquelas suas frases polêmicas a apoiadores bem na entrada do Palácio do Alvorada, em Brasília.

Preocupado com a possibilidade de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disputar novamente a Presidência da República, em 2022, Bolsonaro disparou:A turma quer votar ainda neste filho do capeta. Se esse cara voltar, nunca mais vai sair”, disse o presidente sem citar o nome do petista.

A afirmação de Bolsonaro ocorre justamente dois dias após divulgação da pesquisa Datafolha que mostrou uma possível vitória, com ampla vantagem do ex-presidente Lula em um segundo turno disputado pelos dois.

Em live, Lula elogia Dino e desqualifica Bolsonaro

Ex-presidente Lula e o governador Flávio Dino
Ex-presidente Lula e o governador Flávio Dino

O governador Flávio Dino realizou, juntamente com o ex-presidente Lula, uma live transmitida ao vivo ainda há pouco pelas redes sociais.

O assunto principal foi a crise sanitária provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no país e as diretrizes adotadas pelo Governo Federal, que, segundo Lula, são um fiasco.

O petista além de citar falhas na economia, criticou o presidente Jair Bolsonaro, por não escolher pessoas qualificadas para o comando do Ministério da Saúde, e ainda questionou a presença de tantos ‘generais’ no governo.

O ex-presidente também cobrou a falta de ações enérgicas por parte do Ministério Público do Trabalho sobre garantir direitos essenciais aos trabalhadores brasileiros.

Lula elogia Dino

Durante a live, Lula teceu vários elogios a Flávio Dino e chegou a agradecer o que o governador fez e faz pelo Maranhão. “Faça o que for preciso, sem esperar agradecimento. Não faça como Bolsonaro que tudo que ele faz ele quer agradecimento”, disse Lula.

E pra finalizar: “conte comigo em qualquer circunstancia por que o Brasil precisa de gente séria assim como você e os demais governadores do Nordeste“, completou Lula enaltecendo o trabalho de Dino no Estado.

Lula está surdo

Ex-presidente Lula passa a usar aparelhos auditivos

A coluna Painel da Folha de São Paulo divulgou nesta terça-feira (21) a seguinte informação: “O ex-presidente Lula está usando aparelhos auditivos nos dois ouvidos, há duas semanas. Alguns dias depois de deixar a prisão, em novembro do ano passado, o petista foi ao médico e passou por exames que mostraram uma perda auditiva.

O equipamento é quase imperceptível, segundo relatos de pessoas que o encontraram nos últimos dias. Lula disse a elas que está ouvindo muito melhor.”

O Antagonista comenta: “Lula está surdo, mas é o Brasil que não escuta mais o que ele diz.”

Lula chama Bolsonaro de “Lambe-botas do Trump”

Lula X Bolsonaro

Na entrevista a um blog amigo, Lula atacou Jair Bolsonaro e criticou o posicionamento do governo brasileiro em relação aos Estados Unidos.

Na relação internacional, sempre são dois interesses: o seu e o do outro. Você tem que sempre equilibrar o deles com o seu. O Bolsonaro não faz a menor questão de não ser um lambe-botas do Trump”, disse o ex-presidiário.

Não é a primeira vez que Lula chama Bolsonaro de “lambe-botas”. O condenado era lambe-botas de empreiteiras.

O Antagonista

Pesquisa Datafolha: Moro tem 33% de alta confiança e Lula 30%

Sergio Moro e o ex-presidente Lula

Pesquisa Datafolha publicada neste domingo (5) pelo Jornal “Folha de S. Paulo” mostra que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, tem o maior índice de confiança entre 12 figuras do cenário político pesquisadas.

A pesquisa mostra que 33% dos entrevistados têm alta confiança em Moro, 23% dizem ter média confiança, e 42%, baixa confiança.

O ex-presidente Lula tem 30% de alta confiança, 16% de média e 53% de baixa.

Apesar de empatar dentro da margem de erro com o ex-juiz no quesito alta confiança, o Datafolha considera que o ex-presidente fica em segundo lugar entre as 12 figuras por ter índices piores de média e baixa confiabilidade.

O instituto pediu que os entrevistados dissessem, em uma escala de 0 a 10, qual o nível de confiança que tinham em cada um dos integrantes da lista. As notas até 5 são consideradas baixo índice de confiança, de 6 a 8, médio, e 9 e 10, alto. O índice leva em conta as notas atribuídas por aqueles que dizem conhecer a personalidade em questão.

O levantamento do Datafolha ouviu 2.948 pessoas em 5 e 6 de dezembro em 176 municípios de todas as regiões do país. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%.

Na sequência, estão empatados na margem de erro o presidente Jair Bolsonaro, com 22% de alta confiança, 22% de média e de 55% baixa; e Luciano Huck, com 21% de alta, 22% média e 55% baixa.

Veja todos os resultados

Sergio Moro

Alta confiança: 33%

Média confiança: 23%

Baixa confiança: 42%

Lula

Alta confiança: 16%

Média confiança: 30%

Baixa confiança: 53%

Jair Bolsonaro

Alta confiança: 22%

Média confiança: 22%

Baixa confiança: 55%

Luciano Huck

Alta confiança: 21%

Média confiança: 22%

Baixa confiança: 55%

Hamilton Mourão

Alta confiança: 12%

Média confiança: 21%

Baixa confiança: 62%

Ciro Gomes

Alta confiança: 11%

Média confiança: 22%

Baixa confiança: 64%

FHC

Alta confiança: 10%

Médica confiança: 21%

Baixa confiança: 67%

Marina Silva

Alta confiança: 9%

Média confiança: 23%

Baixa confiança: 65%

João Doria

Alta confiança: 7%

Média confiança: 20%

Baixa confiança: 69%

Rodrigo Maia

Alta confiança: 7%

Média confiança: 18%

Baixa confiança: 70%

Manuela D’Ávila

Alta confiança: 7%

Média confiança: 17%

Baixa confiança: 70%

Davi Alcolumbre

Alta confiança: 3%

Média confiança: 14%

Baixa confiança: 73%

Fonte: G1