Número de viaturas da PM cresce 86% em pouco mais de 3 anos no Maranhão

Foto Divulgação

Entre as mais de mil novas viaturas entregues desde 2015 para a Segurança Pública do Maranhão, 825 foram para a Polícia Militar. Isso representa um salto de 86% na frota da corporação em pouco mais de três anos.

Até 2014, o Maranhão tinha 960 carros e motocicletas para os policiais militares. Hoje são 1.785. Contando também as viaturas da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros, o total chega a quase 2.700 unidades.

Os novos carros entregues desde 2015 são equipados com tecnologia de monitoramento, comunicação e tração, adequados para uso nas áreas de litoral e de difícil acesso.

Isso permitiu que a distribuição dos veículos fosse realizada de forma estratégica para garantir a eficácia do uso e para que todos os grandes comandos espalhados pelo Estado recebessem viaturas.

De acordo com o Comando da PM, a estratégia de distribuição considerou, entre outras vertentes, o tipo de policiamento, a natureza do terreno e a população atendida.

Esse investimento duplo, material e pessoal, que o governador tem feito no sistema de Segurança possibilita uma atuação forte em todos os campos, tanto na parte operacional, na de inteligência, quanto na de investigações”, diz o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela.

O comandante geral da Polícia Militar, Jorge Luongo, diz que desde que entrou para a corporação, há 25 anos, nunca viu um momento como este em relação ao cuidado com a Segurança Pública. “Este governo vem investindo fortemente, teremos a entrada de novos PMs, a capacitação está sendo um marco para a polícia.”

E também temos investimentos em viaturas e armamentos. Temos realmente viaturas em todo o Maranhão, não apenas carros pintados de viaturas”, acrescenta o comandante da PM.

Maranhão supera a marca de mil viaturas novas entregues desde 2015

Foto Divulgação

Desde 2015, o Maranhão já recebeu 1.005 novas viaturas para equipar as forças de Segurança Pública do Estado. São veículos de quatro e de duas rodas espalhados por todas as regiões maranhenses.

As viaturas foram entregues para a Polícia Militar, a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros e o sistema penitenciário.

Como realiza atividades ostensivas, a PM foi quem recebeu o maior número de viaturas, chegando a 825 no total.

O governador Flávio Dino diz que o aumento da frota “é uma iniciativa de modernização e fortalecimento das polícias para melhorar sua eficiência; e é apenas uma das medidas, pois já fizemos novos batalhões, contratação de policiais e promoções”.

Tecnologia

Foto Divulgação

Os novos carros são equipados com tecnologia de monitoramento, comunicação e tração, adequados para uso nas áreas de litoral e de difícil acesso.

Isso permitiu que a distribuição dos veículos fosse realizada de forma estratégica para garantir a eficácia do uso e para que todos os grandes comandos espalhados pelo Estado recebessem viaturas.

De acordo com o Comando da PM, a estratégia de distribuição considerou, entre outras vertentes, o tipo de policiamento, a natureza do terreno e a população atendida.

Frotalog

Em funcionamento há 2 anos, o frotalog é o sistema de cadastro, controle e avaliação de frota de uso da Polícia Militar do Maranhão, único no Brasil, criado pelo Capitão Fábio Henrique Magalhães, da Diretoria de Apoio Logístico do Comando Geral da PM.

O software, atualizado a cada 15 dias, conta com mais de 1.800 arquivos e emite relatórios precisos sobre todos os veículos da corporação.

Por meio do frotalog, os comandos de policiamento de todo Estado e a diretoria de apoio logístico têm, em tempo real, informações da marca, placa, tipo de atividade, combustível e localidade do veículo.

Reaparelhamento da polícia

O Governo do Estado vem investimento em ações de reaparelhamento, tais como compra de armas longas es coletes, entregas de viaturas e realização de concurso público. Para a população, os investimentos impactam no combate ao crime.

Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) mostram redução de 63% nos Crimes Letais Intencionais (CVLIs) registrados na Grande São Luís em março de 2018, na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

É o menor índice dos últimos 11 anos. Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2017, já divulgados pela Folha de S. Paulo, mostram que Maranhão é o segundo estado brasileiro que mais investiu em segurança pública.

Superintendência de Homicídios de São Luís em novas instalações

Novo prédio da Polícia Civil reforça segurança no Maranhão
Novo prédio da Polícia Civil reforça segurança no Maranhão

O vice-governador Carlos Brandão inaugurou nesta segunda-feira (16) a nova sede da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), na Avenida Beira Mar, Centro de São Luís. A estrutura passa a funcionar no antigo prédio da Delegacia Especial da Mulher e tem a finalidade de reforçar o combate aos crimes contra a vida.

Para o vice-governador, os avanços não se resumem somente às estruturas físicas que vêm sendo inauguradas desde o início da gestão do governador Flávio Dino. “Os resultados estão vindo com toda uma série de aparelhamento das polícias, Civil e Militar, com o melhoramento do efetivo, por meio dos concursos das polícias, e com as promoções que estavam represadas, além da aquisição de cerca de mil viaturas”, destacou.

Carlos Brandão reitera que todo o investimento realizado na área de segurança alcançou a redução na criminalidade no Estado. Ele enfatiza a retirada de São Luís da lista das 50 cidades com maiores índices de violência no mundo. “Hoje inauguramos mais um prédio que passa atender com conforto e segurança. Tudo isso graças a esse apoio que o Governo tem dado à Segurança Pública do nosso Estado. Estamos vivendo um momento histórico no Governo, trazendo indicadores melhores para a segurança estadual”, concluiu.

Mais estrutura

A nova sede da Superintendência conta com estrutura bem mais dividida entre áreas e departamentos de investigação. Ele agrega os Departamentos de Homicídios da Capital e do Interior, de Proteção à Pessoa e de Feminicídio. No total, 15 delegados atendem as demandas da comunidade maranhense na superintendência. “É um ambiente mais próximo da comunidade e com uma estrutura com muito conforto. Estamos disponibilizando equipes de policiais 24 horas e sete dias por semana”, alerta o delegado titular e superintendente de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Lúcio Reis.

Integradas ao trabalho da superintendência estão ainda as delegacias de Polícia Civil nos municípios; o Instituto de Polícia Científica (IPC); quatro áreas de atuação com as delegacias Norte, Sul, Leste e Oeste; o Núcleo de Inteligência; e a Delegacia de Plantão, funcionando 24 horas e atendendo os municípios da Região Metropolitana de São Luís nestes casos.

A investigação homicídios foi especializada com a criação da SHPP, em 2015, primeiro ano da gestão Flávio Dino, e é uma das importantes estruturas que qualificam a investigação de crimes violentos. Além da capital, a SHPP tem base nas cidades de Imperatriz, Timon e Caxias, atendendo estas áreas e regiões adjacentes.

Vídeo: polícia cumpre mandados em casa de vereador e na Câmara de Codó

A Polícia Civil com 3 delegados (Zilmar Santana, Fábio Cordeiro de Peritoró e Alcides Nunes Neto) deram cumprimento a 7 mandados de busca e apreensão hoje pela manhã na casa do vereador Expedito Carneiro e de mais cinco endereços de pessoas que trabalham com ele na Câmara Municipal de Codó.

O setor financeiro da Câmara também foi alvo da operação de onde os policiais civis levaram diversos documentos contábeis e até o cofre do Poder Legislativo.

Zilmar Santana explicou que trata-se de uma investigação comandada pelo Ministério Público Estadual, foi o órgão ministerial quem pediu à Justiça as 7 ordens de busca e apreensão.

Veja abaixo tudo que foi apreendido pela Polícia Civil na Câmara Municipal de Codó.

Fonte: Blog do Acélio Trindade

Assembleia aprova projeto que altera organização administrativa da Polícia Civil

Plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão

Após longa discussão, o Plenário da Assembleia Legislativa aprovou, na sessão desta quinta-feira (22), o projeto de lei enviado pelo Governo do Estado, que altera a organização administrativa da Polícia Civil do Maranhão. Passou um projeto substitutivo apresentado pelo relator e líder do Governo, deputado Rogério Cafeteira (DEM), que acatou uma pequena mudança.

O relator defendeu a aprovação do projeto quase na forma original, para melhorar a qualidade de prestação de serviços da Polícia Civil, e disse que a alteração que sugeriu foi para quando da nomeação do delegado-geral pelo governador, ele seja escolhido entre integrantes ativos da carreira de delegado da Polícia Civil, com dez anos no efetivo da atividade policial.

O projeto de lei nº 365/17, acompanhado da mensagem nº124/17, que altera e acrescenta dispositivos no item 1.12 da lei nº 10.238, de 13 de maio de 2015, que dispõe sobre a organização administrativa da Polícia Civil do Estado, altera o art. 25 da lei nº 8.508, de 27 de novembro de 2006, recebeu pareceres das Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ); Orçamento, Finanças, Fiscalização e Controle; e Relações do Trabalho, Administração Pública e Seguridade Social. A discussão e a votação foram transferidas da sessão ordinária do dia 19/3, devido ao pedido de vista do deputado Roberto Costa (MDB).

O projeto cria também Capelania para a Polícia Civil e cinco regionais da Civil para descentralizar os serviços, a exemplo de Zé Doca que será dividida em duas.

Quadrilha liderada por advogado é presa por roubar banco em Dom Pedro

Cinco integrantes da quadrilha foram presos pela Policia Civil do Maranhão
Cinco integrantes da quadrilha foram presos pela Policia Civil do Maranhão

A Polícia Civil conseguiu prender cinco suspeitos de participar do assalto a banco no município de Dom Pedro, a 324 km da capital. A prisão, efetuada na noite desta sexta-feira (26), é resultado das investigações e buscas realizadas desde a madrugada, pouco após a ocorrência.

No assalto, a quadrilha explodiu o caixa da agência do Banco do Brasil e chegou a trocar tiros com policiais da cidade, fugindo em seguida. O grupo foi autuado em flagrante e encaminhado ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

Após o acontecido, ainda na madrugada, percorremos a área na busca dos integrantes da quadrilha e conseguimos encontrá-los. Com eles apreendemos armas, material para produção de explosivos, drogas e dinheiro queimado, provavelmente do assalto. Indícios que comprovam a ligação entre eles e a participação no crime”, destacou o titular da Delegacia de Dom Pedro, que também responde pela Delegacia de Gonçalves Dias, Humberto Alves Júnior.

Os cinco homens foram detidos em diferentes pontos da zona rural de Gonçalves Dias e Governador Archer. Um dos detidos, o advogado Joaquim Avelino Sobrinho Filho, 32 anos, é apontando como mentor da quadrilha e responsável por garantir a logística de transporte e recursos para os assaltos. Com ele a polícia encontrou um montante de dinheiro queimado e diversos itens utilizados para produção de explosivos.

Os demais presos seriam ‘olheiros’ da quadrilha que eram pagos, entre outros, para monitorar a segurança na agência e informar o momento dos ataques. José Araújo Ferreira, 59 anos; Leandro Ferreira da Silva, 23 anos, que tem contra si acusações de tráfico de drogas e homicídio; e Fabiano Araújo Martins, 23 anos, que teria sido contratado pelo advogado e em depoimento o entregou à polícia como partícipe do crime. Ainda, Josiel José de Sousa, 56 anos, fazendeiro e suspeito de municiar a quadrilha. Com ele a polícia encontrou várias armas.

A quadrilha é suspeita, ainda, de participação no ataque a agência bancária em Senador Alexandre Costa e tem ligação com grupos de outros estados, especializados em assaltos a banco. Entre os crimes pelos quais os membros da quadrilha podem ser indicados estão homicídio, tráfico de drogas, sequestro, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo, associação para o crime, roubo e organização criminosa. “Cada um será indiciado pelo crime ou crimes que cometeu”, reforça o delegado Humberto Júnior.

Equipes do Centro Tático Aéreo (CTA) e do Comando de Operações e Sobrevivência em Área Rural (Cosar) também participaram das buscas e prisões dos envolvidos.

Vídeo: professora universitária é sequestrada e roubada em São Luís

Câmeras de segurança instaladas em uma das ruas do bairro Cohaserma, na Região Metropolitana de São Luís, registraram o momento exato de um sequestro relâmpago sofrido por uma professora universitária na tarde desta quarta-feira (17).

A vítima, identificada como Hilza Paixão, foi abordada por três homens armados quando saía de casa. Ela foi levada pelos maginais e ficou aproximadamente duas horas em poder dos criminosos que roubaram celular, computador e outros pertences dela. Em seguida a liberaram em uma das ruas do bairro do Turu. O veículo não foi levado pelo trio de assaltantes.

Hilza se encaminhou a Delegacia de Policia Civil no Turu (7ºDP) onde lavrou um boletim de ocorrências. Não há informações sobre prisão ou identificação dos bandidos.

As imagens acima estão em poder da polícia.

Número de homicídios na Grande São Luís cai 40% entre 2014 e 2017

Imagem Ilustrativa

Os registros de homicídios na Grande São Luís caíram 40,65% no ano de 2017 em relação a 2014, representando centenas de vidas salvas.

Em 2014, foram 910 homicídios. Já em 2017, foram 540 casos. Isso significa 370 vidas salvas em apenas um ano.

A queda também é acentuada quando se leva em conta os chamados Crimes Violentos Letais Intencionais, que incluem latrocínio e lesão seguida de morte. Foram 987 em 2014 e 591 em 2017, uma queda de 40,12%. Ou 396 vidas poupadas.

Em postagem nas redes sociais, o governador Flávio Dino disse que os números são “resultados dos investimentos na segurança pública e da seriedade no governo”.

Em artigo publicado no fim de semana, Flávio também tinha tratado das mudanças na Segurança Pública em três anos. “Todos são testemunhas do empenho que temos tido em combater a criminalidade. Nosso governo agora é vigilante e tem pulso firme em favor da lei, com uma tropa que passa dos 12 mil homens pela primeira vez em nossa história”.

E chegaremos a mais, com o novo concurso que realizamos para a Polícia Militar e que estamos realizando para a Polícia Civil”, acrescentou.

Concluído inquérito da morte de Nenzin: foi o filho Mariano Jr que atirou no pai

O ex-prefeito Nenzin ao lado do filho Mariano (Jr de Nenzin)
O ex-prefeito Nenzin ao lado do filho Mariano (Jr de Nenzin)

Depois de 21 dias de investigação, o inquérito que apura o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa foi concluído. ‘Nenzin’, como era conhecido, foi morto com um tiro na nuca, naquele município, na manhã do dia 6 de dezembro último.

O principal suspeito é o próprio filho dele, Manoel Mariano de Sousa Filho, o ‘Júnior de Nenzin’, preso no Complexo Penitenciário São Luís. De acordo com laudo pericial foi ele quem atirou no pai pois estava dentro do veículo onde o ex-prefeito foi assassinado.

O crime que chocou a cidade de Barra do Corda não demorou muito a ser elucidado pois o principal suspeito caiu em contradição por várias vezes ao prestar depoimentos na delegacia.

De acordo com declarações feitas pelo Delegado Regional de Barra do Corda, Renilton Ferreira, a policia chegou até a autoria do crime após ouvirem do próprio Mariano Júnior ‘histórias contraditórias e que fogem da realidade policial de crimes de pistolagem’.

No primeiro momento, o filho de Nenzin contou que estava no carro com o pai e parou para que o ex-prefeito fosse urinar e nesse momento ouviu um disparo de arma de fogo. Em seguida Nenzin cai ferido ainda dentro do carro debruçado sobre ele. Porém, em vez de buscar socorro médico diante da situação, Mariano foi até a casa de um advogado em vez de levar o pai para uma unidade de saúde o mais rápido possível.

Depois de contar ainda mais fatos contraditórios, Mariano deu a entender que deixou o pai agonizar até a morte antes de levá-lo ao hospital não lhe dando chance de socorro em tempo hábil. E mais: câmeras de videomonitoramento mostraram o tempo em que o carro ficou rodando até que chegasse ao hospital.

Outro detalhe que chamou atenção do delegado Renilton foi que, ao olhar o corpo de Nenzin, constatou que o tiro que o levou a morte tinha sido disparado à queima-roupa e não à distância como dito na versão de Mariano. Daí então não ficou difícil chegar ao algoz do ex-prefeito.

Com o inquérito concluído, o caso agora ficará aos cuidados do Ministério Público que deve denunciar Júnior de Nenzin à Justiça.

MPF considera inconstitucional decreto que atribui à Polícia Civil fiscalização de locais de diversão

Ministério Público Federal

A Procuradoria-Geral da República enviou, nesta quinta-feira (14), parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 473/MA) contra o Decreto 5.068/1973, do Estado do Maranhão, que atribui à Polícia Civil a fiscalização de estabelecimentos destinados à diversão pública e práticas esportivas. O pedido é pela inconstitucionalidade formal e material da norma, uma vez que a Constituição reserva aos municípios o controle desse tipo de atividade.

No parecer, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, argumenta que há ofensa ao artigo 30, inciso I, da Constituição Federal, que reserva aos municípios a competência para dispor sobre peculiaridades locais, e ao artigo 144, parágrafo 4º, pois a atuação da polícia judiciária se restringe às funções de investigação criminal, não incluindo atividades de controle de diversão pública. A competência municipal encontra respaldo também no artigo 30, inciso VIII, que confere à municipalidade atribuição para promover adequado ordenamento territorial.

Não resta dúvida que o decreto estadual usurpou a competência municipal para tratar de matéria de repercussão local”, defende Dodge. Para ela, o ato normativo autoriza a interferência indevida de um órgão estadual de segurança pública no funcionamento de serviços públicos municipais. “O decreto estadual, ao atribuir à Polícia Civil a função de fiscalização dos estabelecimentos de diversões públicas e desporto, afrontou também a sistemática constitucional sobre segurança pública”, complementou a PGR.

Segundo o decreto, para que seja realizada qualquer atividade de diversão pública no Maranhão, é necessário alvará de licença a ser expedido na capital, pela Seção de Costumes e Diversões Públicas, e, no interior, por delegacias de polícia. O texto determina inspeção dos estabelecimentos e institui vistoria policial anual. Além disso, define o horário de funcionamento das casas de diversão noturna, dos parques de diversões e outros estabelecimentos de entretenimento.

Na peça, a PGR salienta que a utilização de agentes da segurança pública para a realização desse tipo de atividade representa desvirtuamento do sistema constitucional de segurança pública e “aplicação da força policial repressiva e judiciária em instância na qual não se faz necessária”.