Dez pessoas são denunciadas por desvios de meio milhão de reais no BB de Timon

Banco do Brasil em Timon

Uma investigação realizada pelo Ministério Público do Estado do Maranhão, por meio da 5ª Promotoria Especializada de Timon, e pela Polícia Civil do Maranhão, por meio do 1º Departamento de Combate à Corrupção de Timon, resultou na desarticulação de organização criminosa responsável pelo desvio de mais de meio milhão de reais dos cofres do Banco do Brasil.

Foi constatado, durante apuração, que alguns integrantes do esquema realizaram movimentações financeiras suspeitas, incompatíveis com suas rendas. O esquema consistia na liberação fraudulenta de pagamentos de consórcios de serviços oferecidos pela instituição financeira, mediante apresentação de notas fiscais falsas.

A estrutura criminosa contava ainda com um esquema para escoar o dinheiro proveniente das liberações fraudulentas, por meio de contas de empresas previamente constituídas com essa finalidade.

De acordo com as investigações do Ministério Público, o esquema criminoso contava com a participação de funcionários do Banco do Brasil que tinham acesso aos sistemas para inclusão de informações e dados e a consequente liberação dos pagamentos. Os funcionários facilitavam os pagamentos de consórcios contratados por cônjuges, parentes próximos e conhecidos.

Após a conclusão das investigações, o Ministério Público ofereceu Denúncia contra 10 pessoas pelos crimes de Organização Criminosa, Lavagem de Dinheiro e Peculato. Entre os denunciados estão três funcionários do Banco do Brasil e um ex-funcionário da mesma instituição.

Além da Denúncia criminal, o Ministério Público requereu, ainda, o afastamento dos funcionários de suas atividades no Banco do Brasil, justificando com a possibilidade de reiteração das condutas e novos danos ao patrimônio da instituição financeira.

‘Operação Alferes’: policiais são presos por tentativa de homicídio em Grajaú

Foto Divulgação

Uma operação foi deflagrada na tarde de ontem (29), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) em conjunto com a Polícia Civil do Maranhão afim de coletar elementos com o fim de agregar a investigação relacionada a crime de tentativa de homicídio ocorrido na cidade de Grajaú. Como resultado da operação batizada de “Alferes”, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, e três mandados de prisão temporária nas cidades de Grajaú e Imperatriz.

No decorrer da operação foram presos temporariamente dois policiais militares do Maranhão e um outro indivíduo, todos suspeitos de participação no crime. Na ocasião, foram apreendidas quatro armas de fogo sem o devido registro e permissão, o que ocasionou a lavratura de três autos de prisão em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, além de outros objetos relevantes para a investigação, tais como celulares e documentos diversos.

A “Operação Alferes” foi realizada em conjunto pelo Ministério Público do Maranhão, através da Promotoria de Grajaú e GAECO, Polícia Civil do Maranhão, através dos Grupos de Pronto Emprego das cidades de Imperatriz, Timon e Caxias, bem como equipe da Senarc de Timon. Além do Maranhão, a operação também foi deflagrada no Estado do Paraná.

Estudante de direito é preso ao tentar se passar por advogado na delegacia do Maiobão

Delegacia do Maiobão, em Paço do Lumiar

De acordo com informações da Polícia Civil do Maranhão, um homem foi preso em flagrante na noite de ontem (19), pelo crime de falsidade ideológica, após tentar se passar por advogado durante um interrogatório no Plantão Central do Maiobão, em Paço do Lumiar.

Segundo a PCMA, a prisão ocorreu logo após o homem, que é estudante de direito, tentar se passar por advogado para patrocinar a defesa de uma pessoa que estava sendo interrogada no plantão. Na ocasião, acadêmico apresentou o nome e número da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), porém a equipe do plantão desconfiou da numeração antiga da identificação e rapidamente fez um pesquisa junto a Ordem do Advogados onde constatou que o documento seria do avô dele.

O homem foi autuado em flagrante pelo crime de falsidade ideológica, e após a lavratura do auto de prisão em flagrante, o autuado foi encaminhado ao Sistema Penitenciário, onde permanecerá à disposição da Justiça.

PC cumpre mandados no Maranhão e em 18 Estados contra rede mundial de pedofilia

Foto Reprodução

CNN As Policiais Civis de 19 Estados realizam nesta terça-feira (18) uma operação para cumprir 68 mandados de busca e apreensão contra pedofilia. As investigações duraram mais de um ano e identificaram uma rede mundial de computadores em que diversos grupos trocavam fotos e vídeos com imagens estarrecedoras de crianças.

“É uma das maiores investigações contra a pedofilia”, disse o delegado Adriano França que chefia a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima do Rio de Janeiro. O trabalho aconteceu após uma análise dos dados até o ano de 2019 do Disque 100 indicando que mais de 86 mil denúncias foram registradas, sendo 17 mil de abusos sexuais.

De acordo com a Polícia Civil do RJ, levando-se em conta o número de subnotificações e o silêncio das vítimas, o número de denúncias é bem maior. Outro dado preocupante se dá em decorrência da pandemia do coronavírus, momento em que a polícia percebeu uma curva crescente de casos.

O objetivo da operação nacional é desbaratar este grupo e que todos respondam criminalmente.

“É dever moral denunciar qualquer tipo de violação dos direitos humanos, em especial, quando as vítimas são crianças e adolescentes, em razão da vulnerabilidade destes seres em formação”, explicou França.

A investigação que resultou na operação nacional contou com o intercâmbio entre as polícias civis dos demais estados, dentre eles, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Paraná e Rio Grande do Sul. A Operação no RJ conta com a participação da força-tarefa de peritos criminais de informática para a análise do conteúdo dos objetos apreendidos. Ao final da operação as polícias fecharão um balanço nacional.

Seguem os números de alvos identificados, por estados, no decorrer da “Operação Lótus”:
Bahia – 5
Ceará – 3
Distrito Federal – 1
Espírito Santo – 3
Goiás – 5
Maranhão – 1
Minas Gerais – 6
Mato Grosso – 2
Pará – 4
Pernambuco – 2
Piauí – 1
Paraná – 1
Rio de Janeiro – 9
Rio Grande do Norte – 1
Rondônia – 1
Rio Grande do Sul – 6
Santa Catarina – 1
Sergipe – 1
São Paulo – 15

Ex-prefeito e secretários de 3 cidades na mira da PCMA por desvios e apropriação

Sidrack Feitosa, prefeito de Morros
Sidrack Feitosa, ex-prefeito de Morros

A Polícia Civil do Maranhão, por meio da 1ª Delegacia Regional de Rosário, nesta quarta-feira (13), deflagrou uma operação para cumprimento de 4 mandados de busca e apreensão por decisão da Vara Única da Comarca de Morros, contra investigados envolvidos em suspeitas de prática de irregularidades em desvio e apropriação de bens públicos municipais.

Os alvos da operação foram residências localizadas nas cidades de Morros, Axixá e Icatu, endereços de quatro pessoas físicas alvos da investigação, dentre elas, o ex-prefeito Sidrack Feitosa (Morros) e ex-secretários municipais. Na ocasião, os policiais apreenderam documentos, bens e instrumentos destinados ao aprofundamento das investigações em curso.

As investigações policiais detectaram a subtração e ocultação de diversos bens municipais tais como: tratores, toneladas de brita, motores de rabeta, roçadeiras, caixas d’água, GPS, betoneiras, filmadoras, máquinas fotográficas, notebooks, pendrives, barcos e equipamentos de pesca, maquinário, materiais de construção, equipamentos eletrônicos, HDs, CPUs das Secretarias de Administração, Finanças e Setor de Compras. Vários bens desses inclusive foram doados pelo Governo do Estado às prefeituras.

Após parecer favorável do Ministério Público, a Justiça Estadual autorizou todas as diligências propostas, visando instruir a investigação em torno dos crimes em apuração. A Polícia Civil ainda informou que existe ainda Ação Civil Pública em que aponta a insurgência de um ex-prefeito em proceder à imediata transição de governo, fornecendo dados e documentos necessários à próxima gestão, nos termos de Recomendação do Ministério Público.

PCMA deflagra 2ª fase da Operação Ostentação em combate a quadrilha de hackers

Foto Divulgação

A Polícia Civil do Maranhão realiza, na manhã de desta quarta-feira (16), a segunda fase da Operação Ostentação, que combate uma quadrilha de hackers que causou um prejuízo de aproximadamente R$ 13 milhões ao Nubank.

Estão nas ruas em torno de 280 policiais civis do Maranhão, cumprindo mandados de busca e apreensão e de prisão nos municípios de São Luís, Imperatriz, Governador Nunes Freire, Açailândia, Carolina, São João do Paraíso, Cidelândia, Davinópolis, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e João Lisboa.

A ação conta com o apoio da Polícia Civil de Goiás, na cidade de Aparecida do Goiás, e da Policia Civil do Tocantins, nas cidades de Augustinópolis e São Bento.

Os presos serão conduzidos ao Colégio Militar Tiradentes de Imperatriz , onde haverá entrevista coletiva, às 10h30.

O bagulho é doido! Secretário é preso com cheque de R$ 400 mil e droga na casa do prefeito de Nunes Freire

Um dos locais onde a PC e Gaeco realizaram buscas
Um dos locais onde a PC e Gaeco realizaram buscas

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas realizou, na manhã desta terça-feira (15), a Operação Quarto Feliz, em parceria com a Polícia Civil, para cumprimento de mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juiz Ronaldo Maciel da Vara das Organizações Criminosas cumpridos nos municípios de Governador Nunes Freire, Zé Doca, Turilândia, Santa Helena, Pinheiro e São Luís.

Os alvos da Operação são o prefeito e o ex-prefeito do município de Governador Nunes Freire, Josimar Alves de Oliveira (Josimar da Serraria) e Marcel Everton Dantas Silva (Marcel Curió), respectivamente; o candidato a prefeito de Turilândia Paulo Dantas Silva Neto, o Paulo Curió, irmão de Marcel, além de três vereadores, secretários municipais de Governador Nunes Freire dentre outros, perfazendo um total de 29 endereços.

A Operação foi deflagrada para apurar possível prática de crimes de corrupção, desvio e subtração de recursos públicos na Prefeitura de Governador Nunes Freire, envolvendo as empresas R. F. de Abreu Pereira, G.R.B. Nunes e L&F Comércio e Serviços LTDA.

Durante as buscas em endereços residenciais dos investigados e em uma das empresas, foram apreendidos documentos, veículos de luxo, 30 mil reais em cheques, computadores, tablets, celulares e notebooks.

A polícia também apreendeu R$ 9 mil em dinheiro na casa do ex-secretário de Educação do município Governador Nunes Freire, João Marinho, e um cheque no valor de R$ 400 mil reais na casa do atual prefeito Josimar da Serraria, nominado ao secretário de finanças, Stefano Andrey Brandão Guida.

O Ministério Público informou que Stefano foi conduzido à delegacia para lavratura de TCO por ter assumido a propriedade de uma substância entorpecente também encontrada na casa do prefeito, local onde estava no momento da busca.

Na Operação de hoje mais duas pessoas foram presas por porte ilegal de arma.

Em Santa Helena, na casa de Ubirauna Cardoso Miranda, proprietário do laboratório CDA na cidade de Turilândia, foram apreendidos 16.800 reais em espécie, cinco aparelhos celulares, dois computadores, um veículo Corola e vários documentos. Já com a proprietária da empresa GRB Nunes e BSN Farmácia LTDA, em Santa Helena, foram apreendidos 13 mil reais em espécie, além de 5 veículos, sendo um Camaro, um jet ski, uma caixa com 24 relógios e joias.

Operação Midas: Pai e filho são presos por agiotagem em Miranda do Norte

Operação MIDAS em Miranda do Norte
Operação MIDAS em Miranda do Norte

Foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (22) a Operação ‘MIDAS’ onde a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão na residência de pessoas suspeitas de praticarem crimes de agiotagem, ameaças, posse ilegal de arma de fogo, disparo de arma de fogo em via pública e associação criminosa no município de Miranda do Norte. A ação foi coordenada por homens das delegacias de Miranda do Norte e de Itapecuru Mirim.

“MIDAS” é uma alusão à mitologia grega sobre um personagem que tudo que tocava virava ouro.

Segundo o delegado Samuel Morita, a polícia recebeu inúmeras denúncias relatando que no Bairro Novo, uma família especifica, administrava uma associação criminosa voltada a prática de agiotagem e que, além de juros exorbitantes, ainda ameaçava as vítimas e que inclusive apreendiam os bens das vítimas por meio de emprego de ameaças em troca de dívidas.

Como resultado da ação, foram presos dois homens, sendo pai e filho, que também são suspeitos de realizarem disparos de arma de fogo em via pública com o intuito de imporem a violência e o respeito diante da comunidade. O terceiro suspeito conseguiu empreender fuga na hora da abordagem policial.

Apreensões da PC em Miranda do Norte
Apreensões da PC em Miranda do Norte

Foram apreendidos três veículos suspeitos, quase R$ 11.000,00 em espécie, uma arma de fogo, munições, celulares, cordões, cartões bancários e de benefícios sociais em nome de terceiros e com senhas, documentos pessoais e cheques de terceiros e anotações de valores de possíveis empréstimos.

Urgente! PC cumpre mandados na casa de Abdon Murad Jr. “rei da pirâmide”

Policiais Civis em operação
Policiais Civis em operação

Em Operação, na manhã desta sexta-feira (10), a Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão na  residência de de Abdon Murad Júnior, no condomínio de luxo Ilê, na Ponta d’Areia em São Luís.

Abdon é monitorado por tornozeleira eletrônica após ser preso e acusado de aplicar um golpe milionário e formação de pirâmide financeira.

Tiago Bardal é condenado e cumprirá restante da pena em regime semi-aberto

Delegado Tiago Bardal, preso desde fevereiro de 2018

O ex-superintendente da Seic, Tiago Bardal, foi absolvido do crime de ‘organização criminosa’ mas condenado a cinco anos de reclusão pelo crime de ‘concussão’ – crime praticado por funcionário público, em que este exige, para si ou para outrem, vantagem indevida, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela – e também à perda do cargo de Delegado de Polícia Civil do Maranhão.

Preso preventivamente desde fevereiro de 2018, Bardal já cumpriu parte da pena a qual foi condenado, e por esta razão foi progredido o regime de cumprimento de pena para o regime semi-aberto, o que quer dizer que o ex-delegado civil poderá trabalhar ou realizar outras atividades durante o dia e se recolher a noite em Casa de Albergado.