Seduc abre inscrições para seletivo de professores da rede estadual

Secretário de Educação, Felipe Camarão

O Governo do Maranhão, por meio da por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), abrirá nesta quinta-feira (19) as inscrições do Seletivo Simplificado para contratação temporária de professores, para atuarem nas modalidades de Ensino Médio Regular, Quilombola e Educação Especial em escolas da rede estadual, conforme os editais 054/2017 (Ensino Médio Regular E Educação Quilombola) e 053/ 2017 (Educação Especial).

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até as 23h59 do dia 26 (quinta-feira), exclusivamente pelo endereço eletrônico da Seduc. (Acesse aqui)

No total são ofertadas 77 vagas mais cadastro de reserva para o Ensino Médio Regular e Quilombola. Para professores da Educação Especial são ofertadas 89 vagas. O seletivo constará de avaliação curricular de títulos e experiência profissional docente, realizado em etapa única. Os candidatos aprovados, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Secretaria de Estado da Educação, em regime de 20 horas de trabalho semanais.

Após efetuar a inscrição no portal da Seduc, o candidato deverá entregar até às 19h do dia 27 (sexta-feira) os documentos e títulos, acompanhados da ficha de inscrição, gerada via internet, nas sedes da Unidade Regional de Educação a qual estiver jurisdicionado, cujos endereços estão indicados no edital, disponível em http://www.educacao.ma.gov.br/seletivos-e-concursos/seletivos-2017/

O Processo Seletivo Simplificado terá validade de um ano, a contar da data da homologação, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Seduc.

Artigo: Setembro de avanços e conquistas

Secretário de Saúde, Carlos Lula

Por Carlos Lula

Proporcionar melhores condições de saúde à vida dos cidadãos maranhenses é o objetivo que norteia as ações e direciona os investimentos do Governo do Estado do Maranhão. O resultado de todo trabalho que vem sendo desenvolvido é perceptível no avanço do processo de reorganização da rede de assistência à saúde. Em setembro, por exemplo, a concretização de projetos e a finalização de obras de grande impacto demonstram que estamos caminhando rumo a um Maranhão com mais saúde.

A entrega do Hospital Regional de Balsas comprova o quanto temos nos empenhado em suprir os vazios assistenciais no estado, que resultaram da falta de planejamento na execução de ações e na oferta de serviços ao longo dos anos. A unidade de saúde, referência no atendimento de procedimentos de média e alta complexidade, gestação de alto risco e risco habitual, pediatria e cirurgia geral, dá suporte a uma população de pelo menos 246 mil habitantes de 14 municípios da região sul, suprindo uma carência nessa área do estado e atendendo à demanda, principalmente por procedimentos de alta complexidade. Não custa lembrar que antes dessa unidade hospitalar, o cidadão dessa região tinha de peregrinar imensos 400 km para ser atendido em Imperatriz.

Além da entrega da unidade de saúde para a população balsense e de municípios vizinhos, o mês de setembro será memorado pela entrega de uma verdadeira Central de Abastecimento Farmacêutico do estado. A CAF proporciona agora maior eficiência ao atendimento das demandas por medicamentos, tendo em vista que facilita a distribuição de medicamentos e materiais agilizando o abastecimento das unidades de saúde da rede pública estadual. Pela primeira vez, o estado passa a contar com uma estrutura como essa, deixando para trás o tempo de galpões inóspitos que serviam como suporte para armazenamento de insumos.

Setembro foi marcado também pelas iniciativas de incentivo à doação de órgãos com a campanha do Setembro Verde. Como uma das ações, realizamos a inauguração da nova sede da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do Maranhão, agora vinculada ao poder público estadual. Sob responsabilidade do Estado, a proposta é, com a nova configuração da central, fortalecer os serviços e expandir o atendimento, especialmente no interior do estado, com o objetivo de ampliar o número de notificações de doadores em potencial.

Também concluímos a reforma do Hospital Regional de Urgência e Emergência de Presidente Dutra, o primeiro dos hospitais regionais, ainda idealizado por Jackson Lago, ex-governador do Maranhão. As melhorias na unidade de saúde incluíram reforma nas instalações elétricas e hidráulicas e climatização das enfermarias para proporcionar maior conforto aos pacientes e seus acompanhantes. A recuperação de telhado, piso e paredes e a substituição de portas e janelas também fizeram parte do trabalho de revitalização do hospital, executado em parceria com a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra).

Foi também em setembro que teve início a oferta do serviço de hemodinâmica no Hospital Carlos Macieira. Pela primeira vez disponibilizado em uma unidade estadual de saúde, o serviço possibilita diagnóstico e procedimentos nas áreas de cardiologia, neurologia e angiologia, utilizando a técnica do cateterismo. A iniciativa contribuirá para agilizar o atendimento aos pacientes, reduzindo a demanda pelos procedimentos.

Tivemos, ainda em setembro, a comemoração de um ano do Hospital Regional Dra. Laura Vasconcelos, em Bacabal; os dois anos de assistência à população com os serviços da Maternidade Nossa Senhora da Penha – a unidade conta agora com ambulatório ginecológico e o projeto Primeiro Olhar; o fortalecimento das ações de prevenção ao suicídio com a Campanha do Setembro Amarelo; a oferta de serviços em bairros da capital com o Mais Saúde; a execução de mutirões de cirurgias em municípios como Pinheiro e Timbiras; as ações de combate a doenças oftalmológicas com o mutirão de combate ao glaucoma na capital e no interior do estado, beneficiando a população de 50 cidades; e a oferta do tratamento com óxido nítrico inalatório, na Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão e no Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, ambos em São Luís. O método é utilizado para tratar doenças graves relacionadas à hipertensão pulmonar em recém-nascidos prematuros.

Essas foram algumas das ações que marcaram o mês de setembro na área da saúde e que resultaram dos investimentos planejados do poder público estadual. Estamos evoluindo no fortalecimento das redes de atenção à saúde. O que antes era um sistema fragmentado, tem sido transformado em um modelo de assistência integrada, com ações planejadas conforme a necessidade da população. E assim, vamos avançando, como comprovam não só as ações do mês de setembro, mas todo o trabalho realizado ao longo desses pouco mais de mil dias da gestão do governador Flávio Dino.

Seguimos na contramão da crise e estamos fazendo do Maranhão um dos estados que mais investe na efetivação das políticas públicas sociais e, consequentemente, em ações que proporcionam melhores condições de vida à população. Na saúde, na educação, na infraestrutura, no desenvolvimento social, na segurança… Aos poucos e mesmo em meio à crise, vamos construindo um outro Maranhão, mais justo e com mais saúde.

Artigo: Governo a mil

Governador Flávio Dino

Por Flávio Dino

Esta semana que passou tive a honra de chegar aos 1.000 dias de trabalho intenso a serviço do povo do Maranhão, na condição de governador. Um momento muito especial pela sensação de estar cumprindo os compromissos que assumi em 2014. Estamos enfrentando problemas acumulados por décadas que se somaram à maior crise econômica no país dos últimos 100 anos. Mas com muito trabalho e pé no chão, os frutos da mudança estão aparecendo.

O resultado dessas 24 mil horas de dedicação exclusiva à transformação do Maranhão já pode ser visto nas ruas. São 500 obras entregues, uma a cada dois dias: escolas, centros de assistência social, hospitais, milhares de quilômetros de asfalto, VIVAs, além de ambulâncias, tratores e viaturas policiais.

Na educação, criamos o Escola Digna, maior programa de investimentos da área de toda a história do Maranhão. Estamos reformando as escolas da rede estadual, reconstruindo prédios e inaugurando novas 300 unidades até 2018. Com a integração de novos policiais, o Pacto pela Paz já formou uma tropa de 12 mil homens, a maior da história do estado, além das inúmeras ações preventivas por intermédio dos Conselhos Comunitários.

Conseguimos avançar na saúde. Em apenas dois anos e meio, criamos uma verdadeira rede estadual que antes não existia. São as unidades macrorregionais do Sul (em Balsas), do Leste (em Caxias), da Baixada (em Pinheiro), do Médio Mearim (em Bacabal), do Oeste (em Imperatriz) e do Pindaré (em Santa Inês). O próximo hospital a integrar essa rede será o HTO (Hospital de Traumatologia e Ortopedia), a ser inaugurado no próximo mês em São Luís, atendendo toda a região metropolitana, de modo inédito.

Com o Programa Mais Asfalto, temos garantido dignidade para que as pessoas possam se deslocar de sua casa para o trabalho e estudo sem ter de se sujar de lama. Como podem ver, temos um conjunto de obras que visa aumentar a oferta de serviços públicos ao povo maranhense, ao mesmo tempo em que gera empregos em meio à recessão nacional.

Todos têm sentido na pele os efeitos desta crise nacional, fruto de uma disputa política sem limites no plano federal, que jogou o Brasil em uma recessão que não se vivia há um século.

Mas graças ao equilíbrio fiscal, nosso estado não está na mesma situação de outros e temos conseguido manter as contas em ordem, mesmo que com imenso sacrifício. Prova disso é que chegamos ao 34º salário de servidores pago de forma antecipada, dentro do próprio mês. Essa política beneficia não só os servidores, como mantém o comércio local aquecido, atenuando os efeitos da crise em nosso estado.

As 500 obras já entregues e aquelas em andamento estão garantindo que o Maranhão siga com a economia melhor que a média nacional. Já estamos no 4º mês consecutivo de crescimento na geração de empregos.

Qualquer que seja o recorte que façamos, o Maranhão está melhor que há 1.000 dias atrás. Fico pensando o que seria do Maranhão se enfrentasse essa crise nas mãos dos que não souberam conduzir o estado nem mesmo em meio à bonança. Se nos melhores momentos da economia brasileira, o Maranhão figurava com os piores índices do Brasil, o que seria dele agora? Graças a Deus, não corremos mais esse risco, pois o povo sabe qual caminho seguir. Sigamos juntos.

Luciano Genésio participa de entrega de tratores para agricultura familiar

Luciano Genésio, prefeito de Pinheiro e deputado federal Weverton Rocha

Agricultores e prefeitos de todas as regiões do estado receberam na última quinta-feira (28) importantes incentivos do Governo do Maranhão para a agricultura familiar. O governador Flávio Dino entregou 21 patrulhas agrícolas, títulos de terra que beneficiarão 158 famílias e recursos de chamadas públicas para incrementos de cadeias da juçara, coco babaçu, entre outros. São investimentos que somam R$ 8 milhões para a produção familiar local.

O prefeito de Pinheiro Luciano Genésio, que vem buscando várias ações junto ao governo do estado e sempre articulando para que benefícios possam chegar para a população pinheirense, esteve presente na solenidade. Sempre ao lado do prefeito, Dra. Thaiza Hortegal relata que essa articulação do Luciano trará benefícios para os pinheirenses. “O Luciano é um gestor que sempre busca ações para Pinheiro tanto com o governador Flávio Dino, quanto em Brasília com os deputados federais e assim ele tá se mostrando um prefeito que se preocupa em trazer benefícios e ações para os cidadãos da nossa cidade”, relata Thaiza.

Governador Flávio Dino entre autoridades políticas

O prefeito Luciano destacou a importância desse equipamento para agricultura para a cidade de Pinheiro. “É uma conquista e tanto para município, haja a vista que essa patrulha mecanizada beneficiará o homem do campo que depende da agricultura familiar para sobreviver. Estamos felizes por essa parceria com o governador Flávio Dino que trará ainda mais benefícios para a cidade de Pinheiro”, concluiu o prefeito de Pinheiro.

Estiveram na cerimônia o deputado federal Weverton Rocha, a primeira-dama de Pinheiro Dra. Thaiza Hortegal, entre outras autoridades.

Atenção: Aberto edital com mais de mil vagas para Polícia Militar do MA

O concurso amplia o número de policiais, com o recorde de 12 mil profissionais

Estão abertas as inscrições para um dos mais aguardados concursos do Maranhão. Por meio da Secretaria de Estado da Gestão e Previdência (Segep), o Governo do Estado divulgou o edital para preenchimento de 1.171 vagas e formação de cadastro de reserva para o cargo de soldado da Polícia Militar do Estado do Maranhão (PPMA) e de 43 vagas e formação de cadastro para o cargo de 1ª Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da corporação.

Sobre o concurso, o Governador Flávio Dino destacou o papel econômico e social da iniciativa. “É também uma forma de gerar empregos”, declarou. O concurso vai ampliar o número de policiais no Maranhão, que já chegou ao recorde de 12 mil profissionais com as nomeações feitas a partir de 2015.

As inscrições serão realizadas de 16 de outubro a 16 de novembro pelo site do Centro Brasileiro de Pesquisas em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). O concurso terá duas etapas e as provas serão realizadas em São Luís e região metropolitana.

Um das inovações é a ampliação da idade máxima exigida para o cargo de soldado, para o qual podem concorrer candidatos entre 18 e 30 anos, dois anos a mais do que era observado nas gestões anteriores.

Os candidatos precisam ainda ter concluído ensino médio ou formação técnica profissionalizante de nível médio. Para o cargo de Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da PMMA, podem se inscrever candidatos de até 35 anos. O edital completo pode ser conferido no link http://www.cespe.unb.br

 

Mais de 500 motociclistas já quitaram dívidas com o programa Moto Legal

Proprietários de mais de 1.500 veículos já aderiram ao programa de quitação de dívidas de motocicletas oferecido pelo Governo do Estado, o Moto Legal. Do total de adesões, cerca de 600 veículos já quitaram as dívidas de seus veículos com pagamentos que chegam a apenas R$ 50 por ano atrasado.

“O apoio à legalização de motos por pessoas de menor renda visa ajudar as famílias e diminuir acidentes, pois o beneficiário deve ter carteira de habilitação”, afirmou o governador Flávio Dino no lançamento do programa, em agosto deste ano.

Estabelecido por Medida Provisória editada pelo governo estadual, o benefício reduz o IPVA e o licenciamento em atraso a R$ 30,00 e R$ 20,00, respectivamente. Para quem está apenas com 2017 em atraso, a redução é diferente: são descontados 100% das multas e juros do IPVA deste ano.

Para os descontos cujo valor fica em R$ 50,00, o benefício fica limitado a um veículo por pessoa e vale para motos avaliadas em até R$ 10 mil. O valor é definido pelo poder público na hora de calcular o IPVA, por exemplo.

Como aderir

Para aderir ao Moto Legal, é preciso ir a uma agência do Detran até o dia 18 de dezembro de 2017. Apenas pessoas físicas com CNH podem aderir ao programa. Os veículos não podem ter multas atrasadas. O programa não inclui o DPVAT, que é de competência federal.

Cafeteira repudia factoides criados pela Oposição sobre o FEPA e Caema

Deputado Estadual Rogério Cafeteira (PSB)

O deputado líder do Governo na Assembleia, Rogério Cafeteira (PSB), repudiou na manhã desta terça-feira (27) o fato de a Oposição tentar desvirtuar ações administrativas do Governo. Ele destacou a legalidade do procedimento de remanejamento orçamentário do FEPA, da parte referente a recursos do tesouro estadual, e citou casos semelhantes já ocorridos, sem que fossem caracterizados como ilegalidades.

“Não há e nunca houve irregularidade sobre remanejamento orçamentário do FEPA. Todos os Governos os fizeram, eu fiz uma pesquisa muito breve, no ano de 2014. E no ano de 2014, a Governadora Roseana fez o mesmo tipo de remanejamento. Foram R$37.500 milhões, nos últimos meses. E aqui não é um ataque a ela, é um procedimento normal na administração. O que o Governo tem que garantir é o pagamento dos servidores inativos e pensionistas e isso nenhum Governo do Maranhão deixou de pagar até hoje”, destacou.

Cafeteira destacou que, em pesquisas feitas por ele, só nos últimos dois meses de governo de 2014, foram remanejados R$ 57,5 milhões. Ele lembrou também, que quando o ex-presidente da Assembleia, ex-deputado Arnaldo Melo, assumiu o governo, ele também fez o mesmo procedimento, somando R$ 20 milhões. O parlamentar ressaltou que nenhuma irregularidade, dessa ordem de remanejamento de recursos, foi detectada pelo Tribunal de Constas do Estado (TCE), já que a ação é prevista em Lei.

IRRESPONSABILIDADE

Cafeteira lamentou a falta de responsabilidade de alguns veículos de comunicação maranhenses ao noticiar um fato, como o remanejamento orçamentário do FEPA que foi tratado como “desvio financeiro”. Ele lembrou que há algumas semanas, o jornal O Estado do Maranhão estampou uma manchete afirmando que o atual governo teria “desviado R$ 29 milhões do FEPA”.

O líder governista declarou que, dessa forma, por analogia da linha editorial do periódico, a ex-governadora Roseana Sarney também teria desviado R$ 37,5 milhões do FEPA, no final de 2014. “Se ele tem isso como verdade, que o Governador Flávio Dino desviou 29 milhões e estampou na sua manchete, ele automaticamente acusa a ex-governadora de ter desviado R$ 37,5 milhões”, disse.

CAEMA

Rogério Cafeteira também rebateu a deputada Andrea Murad no que diz respeito as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE`s) e Caema. Ele destacou que em toda a história do Maranhão, somente três governos investiram de fato na Caema, que de acordo com o parlamentar foram: os governos de João Castelo, Epitácio Cafeteira e o do governador Flávio Dino.

O líder governista destacou que o esgoto que chega às ETE`s é 100% tratado e que atende às determinações do órgão regulador, que é o CONAMA.

Cafeteira lembrou a deputada que o pai dela, o ex-secretário de Saúde Ricardo Murad, foi gestor responsável também pelo tratamento do esgoto, já que a Caema era vinculada à Secretaria de Saúde. Rogério destacou que Murad teve muito mais de 1000 dias e nunca determinou nenhum investimento para que o esgoto da capital fosse coletado para ser tratado, o que está acontecendo agora, com a implantação de uma rede interligada de esgoto.

CCJ debate projeto que cria o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado

Outros assuntos também foram discutidos pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) começou a debater em reunião nesta terça-feira (26) o projeto de lei complementar que cria o Instituto de Previdência dos Servidores do Maranhão (Iprev), enviado pelo governador Flávio Dino (PCdoB). O presidente da CCJ, deputado Marco Aurélio (PCdoB), disse aos representantes das categorias que participavam do encontro que vai analisar as emendas que venham a ser apresentadas por parlamentares.

O relator do projeto, deputado Levi Pontes (PCdoB), também ouviu dos representantes das categorias, pedidos para que algumas propostas de alteração venham a ser analisadas. Prometeu avaliar as emendas, inclusive uma apresentada pelo deputado Eduardo Braide (PMN), com a finalidade de adequar o projeto à legislação federal sobre previdência e permitir a participação de diversos segmentos do poder público no Conselho do Iprev, segundo o autor.

Várias outras matérias foram analisadas na reunião da CCJ, a exemplo da Medida Provisória nº 252/2017, de autoria do Poder Executivo, que institui a 2ª edição do Programa Moto Legal, concedendo benefícios para o pagamento do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e da Taxa de Licenciamento, relatado por Marco Aurélio; e o projeto de lei ordinária nº 219/2017, apresentado pela deputada Ana do Gás (PCdoB), que obriga todas as casas noturnas que oferecem músicas ao vivo, mecânica e/ou eletrônica, no Estado do Maranhão, fixarem placas informativas referentes a valor do ingresso e/ou couvert artístico cobrado, tendo como relatora Francisca Primo.

Passou ainda o parecer pela manutenção de veto parcial aposto ao projeto de lei nº 188/2017, de autoria do deputado Josimar de Maranhãozinho (PP), que obriga as empresas que desenvolvem atividades de comércio de bens e às prestadoras de serviços de qualquer natureza, no âmbito do Estado do Maranhão, a disponibilizarem crédito ou reembolso imediato, para pagamentos efetuados em duplicidade por consumidores, relatado por Levi Pontes.

Artigo: Alteridade e vida

Carlos Lula, Secretário de Estado de Saúde

Por Carlos Lula

Alteridade é a capacidade de se colocar no lugar do outro na relação interpessoal, considerando as diferenças entre os indivíduos e suas particularidades enquanto seres humanos. Exemplos práticos de alteridade são cada vez mais raros na sociedade do individualismo e da falta de coletividade. Essa falta de preocupação com o bem-estar do outro tem provocado consequências negativas por todo o mundo, e é essa alteridade que nos faz, especialmente no mês de setembro, ampliar as discussões com foco na prevenção ao suicídio.

Sabemos que muitas vezes os obstáculos parecem intransponíveis, mas o mundo nem sempre é justo e a perfeição que a sociedade nos impõe nos pressiona de modo que chega a ser angustiante. A depressão é uma doença muitas vezes silenciosa que atinge nossos amigos, familiares, vizinhos e conhecidos e é a principal causa do suicídio. O que se passa por dentro de nós e as lutas diárias particulares podem nos oprimir e resultar em consequências graves. Uma alternativa parece ser lutar contra as imposições do mundo e buscar motivações e sentido na vida, igualmente particulares.

O tema é ainda mais complexo por se tratar da consequência de uma motivação pessoal, o que não exclui a nossa responsabilidade enquanto gestores públicos e sociedade civil pelos dados alarmantes. O mais recente relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), realizado em 2016, indica que a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio, o que resulta em uma média de 800 mil suicídios por ano no mundo. No Brasil, são 32 suicídios por dia e, no Maranhão, 269 casos foram registrados em 2016.

Ainda segundo a OMS, 9 em cada 10 casos podem ser evitados através da compreensão, da conscientização, de informações sobre o assunto e da oferta de um tratamento adequado. Transtornos mentais, decorrentes do abuso de substâncias psicoativas ou depressão, esquizofrenia, transtorno de ansiedade e personalidade; questões sociodemográficas, com indivíduos de estratos econômicos extremos, residentes em áreas urbanas, desempregados, aposentados, em isolamento social, solteiros ou separados; problemas psicológicos; e condições clínicas incapacitantes são alguns fatores de risco para o suicídio.

É considerando esse contexto, que o poder público estadual tem investido em serviços e ações de prevenção ao suicídio. Especialmente durante a campanha do Setembro Amarelo, o Governo do Estado intensificou as palestras sobre o assunto, com o intuito de esclarecer a sociedade e divulgar os serviços oferecidos. Além das ações de prevenção nas escolas e comunidades, com palestras e oficinas, o governo oferece atendimento individual e grupos terapêuticos especializados na prevenção do suicídio, e ainda grupo de apoio às pessoas que apresentem alguma vulnerabilidade ligada ao suicídio.

Somados a essas atividades, estão os serviços dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Equipes dos CAPS são responsáveis pelo cuidado de pessoas que sofrem de algum transtorno psíquico. Esses profissionais lidam constantemente com indivíduos em situação de crise, quando é considerado alto o risco de suicídio. No Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Drogas (CAPS AD), as atenções são voltadas para o combate ao uso de substâncias psicoativas, que também podem levar ao suicídio.

É fundamental conversar sobre suicídio e expandir as discussões para que as pessoas possam se sentir livres para falar, sem serem julgadas e silenciadas pela sociedade. Por isso, é importante praticar a alteridade. Muitas pessoas, por medo ou desconhecimento, não falam sobre o assunto. Nesse contexto, compreender o outro é fundamental para identificar sinais de um comportamento suicida. Para isso, a sociedade precisa estar aberta ao diálogo e motivada a cuidar do próximo.

As estatísticas nesse caso (ainda preocupantes) não são apenas números, são pessoas que perdemos a cada dia que passa. Nosso trabalho diário na saúde é pela vida dos maranhenses, de cada um. E nada mais é tão precioso quanto a vida, por esse motivo somos todos convocados para essa luta! A quem precisa, estendemos as nossas mãos. Desejamos contar com vocês e espero que contem conosco.

Artigo: Governo que leva a sério o que é sério

Governador Flávio Dino

Por Flávio Dino

A semana que passou teve início com novas pesquisas que voltaram a comprovar a boa avaliação que as pessoas fazem sobre os rumos do nosso governo. É uma prova de que a população reconhece que somos um governo que leva a sério o que é sério. Tratamos como devem ser tratadas a educação, saúde e segurança do estado: como prioridade real e não como discurso vazio.

Um exemplo é a educação, em que implantamos o Escola Digna, maior programa de investimentos da área de toda a história do Maranhão. Estamos reformando as escolas da rede estadual, reconstruindo prédios e inaugurando novas 300 unidades até 2018.

Esta semana, entreguei a reconstrução da Escola Barjonas Lobão, no bairro do Cohatrac, em São Luís. Foi a primeira obra nessa unidade de ensino em mais de 20 anos. Antes já havia entregue a Escola Modelo de São Luís, realmente transformada em modelo, após mais de 100 anos de existência. Obras novas que vêm a interromper longos períodos de descaso ao qual a educação esteve relegada por tanto tempo. E nesta semana que hoje inicia irei inaugurar 5 escolas novas, em vários municípios.

Na área da segurança, chegamos esta semana a 730 novas viaturas entregues. Isso significa uma média de 1 viatura nova a cada 32 horas de Governo, certamente um recorde. Com a integração de novos policiais, já formamos uma tropa de 12 mil homens, a maior da história do estado. E iremos ampliá-la ainda mais, com um novo concurso, cujo edital sairá até o final deste mês.

Com esse investimento em segurança, temos conseguido reduzir significativamente os índices de criminalidade no estado. Houve uma queda de 34% no número de homicídios na Grande São Luís entre janeiro e julho deste ano na comparação com o mesmo período de 2014 (governo passado).

Tratar com seriedade é o que temos feito na saúde onde, em pouco tempo, criamos uma verdadeira rede estadual de grandes hospitais, que não existia. Na semana que passou, foi a vez de inaugurar o sexto: o Hospital regional de Balsas, que beneficiará diretamente 234 mil pessoas. É impressionante pensar que, até este ano de 2017, toda essa parcela da população do estado estava abandonada pelo poder público, sem uma unidade de saúde com o porte que o Sul do estado merece.

Inaugurar essas obras, ao mesmo tempo que me alegra profundamente, me deixa indignado. Pois penso nas décadas que o Maranhão perdeu, subjugado por pequenos grupos que sugavam o sangue do povo para alimentar seus caprichos e delírios.

Fico pensando o quanto nosso estado poderia estar à frente de outros e com condições mais dignas de vida para nossa população, se uma oligarquia não tivesse se aninhado no Palácio dos Leões, usando todo tipo de subterfúgio para ali manter-se.

Graças a Deus essa é uma página virada de nossa história. O Maranhão já há quase três anos decidiu escrever sua história de um jeito diferente. Me sinto feliz por fazer parte desse projeto do povo do Maranhão de resgatar o que nunca deveria nos ter sido arrancado: a nossa dignidade.