Coligações Partidárias: A vantagem do chapão para deputado estadual em 2014

assembleia-01 (1)Candidato fraco corre do chapão, isso é fato. Em outras eleições, todos os candidatos que usavam a matemática para poderem se eleger procuravam logo um partido pequeno que, de preferência, não possuía políticos com mandatos.

Quando chegava a época das coligações o cidadão fazia de tudo para se coligar com outro partido fraquinho, para poder somar força com ele, e correr para fazer um deputado, no máximo dois.

O mais esperto procurava se juntar com partidos que possuíam candidatos com potencial menor que o dele, os chamados “bucha”. No final, era só uma questão de fazer a soma e tirar os nove fora. Mandato garantido.

Acontece que, nestas eleições, apareceram muitos espertos e todos tomaram a mesma atitude, tornando portanto, os partidos pequenos com candidatos fortes. Desta forma, de partido pequeno, ficou o nome, uma ou duas vagas no máximo, e para piorar, sem tempo de televisão para pelo menos falar “MEU NOME É ENÉIAS”.

Do outro lado da disputa ficaram os candidatos do famoso e tão temido “CHAPÃO”. Só que desta vez com várias vantagens. Políticos experientes, alta potencialidade de votos, maior número de vagas na disputa, maior tempo de televisão que inclusive poderão dividir por região do estado, e também, grande chances para os primeiros suplentes assumirem, pois como se trata de políticos experientes, a possibilidade de serem chamados para comporem a equipe de primeiro escalão do governo é muito grande. Fora que daqui a dois anos, muitos desse grupo deverão ser candidatos a prefeitos em suas regiões.

Portanto, quem apostou no grande tem grandes chances de se tornar grande, mas quem apostou no pequeno, pequeno será.

Marcos “play” é desmentido, mais uma vez, na Assembleia Legislativa

i

Este jornalista recebeu cópia de carta distribuída aos deputados estaduais do Maranhão, na sede do Legislativo estadual, na ultima sexta-feira(6) e que será distribuída, também, na Câmara Municipal de Brejo, respondendo “acusações” do deputado Marcos Caldas (PRB), mais conhecido como deputado “play”, contra o prefeito do município de Brejo, Omar de Caldas Furtado Filho, localizado à cerca de 320 Km da capital, São Luis.

O que mais chamou atenção foi a velha prática de acusar para encobrir interesses e desvios próprios e considerados, no mínimo, suspeitos.

No documento de duas páginas, que encontra-se em poder deste jornalista, mas que já é de domínio público, o prefeito justifica a “cobrança” do deputado “play” com relação ao aluguel da Clínica Santa Alice, pelo valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), quando poderia fazer uso de uma outra casa de saúde que ele diz equipada com 40 leitos, por menor valor.

Na nota, o prefeito desmente que sejam 40, e sim, 30 leitos. Além disso, o gestor alerta para a falta de equipamentos necessários ao bom atendimento da população, pela fundação “sugerida” pelo deputado play. Na verdade, ainda segundo a nota, o interesse de Marcos Caldas em fazer voltar a funcionar a fundação, é que ele sempre se utilizou dela para fazer politicagem em troca de votos, com a saúde pública.

Em outro trecho da nota, o prefeito aborda a acusação de “play” sobre a contratação de carros de uma locadora que não os possuiria. Novamente, a nota deixa claro que o interesse é apenas politicagem pessoal, pois, como bem “ensina” o prefeito ao parlamentar acusador, uma empresa não necessita, obrigatoriamente, ser a dona dos veículos para alugá-los, e cita como exemplo da Petrobras, que não possui veículos em seu nome e é a maior distribuidora de combustíveis do país. Basta, para isso, terceirizar a contratação de veículos através de licitação pública, o que fez o município de Brejo, como comprovado com cópias do Dário Oficial.

Mas, uma das partes mais interessantes na nota, é a que o prefeito esclarece os motivos pelos quais Marcos Play o acusa, e já o 1º dos três itens elencados por Omar, merece destaque: “Marcos Caldas mandou desmatar a cabeceira do Riacho de Santana, além de causar assoreamento de todo o leito do riacho, quando chove em Brejo, todas as casas naquelas margens ficam alagadas. Este crime já denunciado aos órgãos ambientais, que teriam aplicado punição ao deputado”.

Sobre isso, seria cômico, não fosse trágico, constar na página oficial do deputado estadual, que ele Também foi membro da CPI que investigou denúncias sobre degradação ambiental provocada pela Alcoa (ALUMAR) e Merck do Brasil”.

A nota mostra, também, inúmeras outras denúncias, comprovadas, segundo o prefeito, contra o deputado Marcos Caldas “Play”.

Não perdendo a oportunidade, acho que agora alguém vai “pro brejo”.

Fonte: Política Real