Professores e funcionários da limpeza de hospitais em greve em São Luís

Braide em mais duas greves: professores e funcionários da limpeza de hospitais

A gestão de Eduardo Braide em São Luís vai de mal a pior. Professores da rede municipal de ensino e funcionários que atuam no setor de limpeza dos Hospitais Socorrão 2, da Mulher e da Criança, além das unidades mistas, estão de braços cruzados, estes últimos por falta de pagamento.

Os professores, que iniciaram nesta segunda-feira (18) greve geral, brigam por melhorias e pelo reajuste de 36,56% mas o prefeito permanece irredutível e insiste em somente 5%.

Para os mais de 200 trabalhadores da limpeza, os salários que deveriam ter sido pagos no início deste mês, até o momento não foram depositados nas contas dos funcionários e de acordo com o Sindicato de Asseio e Conservação, ainda não existe nenhuma previsão para que os pagamentos sejam efetuados. Eles seguem com as atividades paralisadas desde a última sexta-feira (15).

O Presidente do Sindicato de Asseio e Conservação, Maxwell Bezerra, afirma que a empresa Maxtec não recebe há cerca de cinco meses, por parte da Prefeitura de São Luís, o repasse dos recursos que seriam utilizados, inclusive, para manter em dia, os salários de todos esses funcionários, que são terceirizados.

VÍDEO: Bombeiros controlam incêndio em prédio na UEMA

Foto Reprodução

Um incêndio foi registrado na tarde deste domingo (10) no prédio de Engenharia da UEMA na Cidade Universitária Paulo VI, localizado na Av. Lourenço Vieira da Silva em São Luís.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e controlou o fogo.

ACABA A GREVE EM SÃO LUÍS

Foto Reprodução

Em nova audiência no TRT-MA, a pedido da Prefeitura de São Luís, representantes dos Sindicato dos Rodoviários e do sindicato patronal (SET), se reuniram novamente na tarde desta quarta-feira (30). As discussões giraram em torno de uma solução, que atendesse as reivindicações dos trabalhadores, que desde terça-feira (29), deflagraram greve geral, paralisando por completo o sistema de transporte público de São Luís.

A audiência que foi conduzida pela Desembargadora Márcia Andréa Farias da Silva, contou ainda com a presença dos secretários municipais de Governo e da SMTT e do Procurador do Município. Durante o encontro, o Presidente do Sindicato dos Rodoviários, Marcelo Brito, reafirmou que não abre mão da garantia do reajuste dos trabalhadores.

Na oportunidade, o município fez a seguinte proposta, com o intuito de acabar com o movimento grevista: A manutenção do pagamento referente ao Cartão Cidadão, no valor de um milhão e meio de reais. Além disso, se compromete em fazer o repasse que garante o reajuste de 8%, tanto nos salários, como no ticket alimentação dos trabalhadores Rodoviários.

Diante da proposta feita pelo município, os empresários ainda resistiram em aceitar, demonstrando mais uma vez, a intransigência deles, mesmo a Prefeitura se comprometendo em assumir as despesas com o reajuste dos trabalhadores. Após mais uma rodada de negociações, que por muito pouco não foi inviabilizada pelo SET, a desembargadora do TRT-MA, bateu o martelo e acatou a proposta da Prefeitura. Com a solução apresentada para esse impasse, o sistema de transporte público em São Luís, volta a operar normalmente nesta quinta-feira (31).

Depois de todos esses meses de intensas negociações e a deflagração de um movimento grevista que durou mais de 40 dias, chegamos a um percentual, em que poderíamos sentar retomar as discussões. De fato, 8% de reajuste nos salários e no ticket, não é o ideal, mas sem dúvida, não deixa de ser uma importante conquista, já que durante todo esse tempo, não tínhamos a garantia nem de 1% de aumento em nossos salários. A luta foi difícil, foi árdua, inclusive, com mandados de prisão expedidos para toda a diretoria do nosso sindicado, mas mesmo diante de todas essas situações, conseguimos garantir o nosso reajuste. Essa vitória é de todos nós, companheiros!”, ressalta Marcelo Brito.

Imagem do Dia: UM PIRATA NAS ALTURAS

Pirata da Litorânea na torre de transmissão da TV Mirante em São Luís. Foto Reprodução

Primor terá que disponibilizar estrutura provisória e reparos no Terminal da Cohama

Terminal de Integração da Cohama, em São Luís, após ventania

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) e da Procuradoria Geral do Município (PGM), e a Viação Primor, empresa que detém a concessão para operar o Terminal de Integração Cohama/Vinhais, formalizaram, nesta terça-feira (22), acordo para disponibilizar, em até 48h, estrutura provisória para os usuários do Terminal de Integração Cohama/Vinhais, que foi totalmente interditado no sábado (19) após danos estruturais causadas por fortes chuvas.

O acordo foi fechado em audiência de conciliação mediada pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, que estabeleceu ainda prazo para os reparos no terminal. “Convidamos os representantes da Prefeitura de São Luís e da Viação Primor para mediarmos um acordo com o objetivo de garantir os direitos dos usuários do Terminal de Integração Cohama/Vinhais, que desde a interdição do local estão sem um espaço adequado e seguro para o embarque e desembarque nos coletivos. Felizmente, as partes chegaram a um acordo que vai permitir minimizar o problema em prazo curto”, afirmou o juiz Douglas de Melo Martins, titular da vara.

Audiência de conciliação mediada pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís

Participaram de forma presencial da audiência, o secretário Municipal de Trânsito e Transportes, Diego Baluz; o Procurador-Geral do Município, Bruno Duailibe; o superintendente de Defesa Civil Municipal, Alexandro Nogueira; Romeu Carvalho, diretor da Viação Primor; o coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual, major Fernandes; e Paulo Henrique da Silva, presidente do Sindicato dos Usuários do Transporte Coletivo Urbano e Semiurbano do Estado do Maranhão. Por videoconferência participaram o secretário Municipal de Segurança com Cidadania, Marcos Affonso Jr; e a promotora de Justiça, Alineide Martins Rabelo Costa, representando o Ministério Público do Estado do Maranhão (MPMA).

Esta audiência de conciliação foi importante para que, mais uma vez, a Prefeitura de São Luís prestasse esclarecimentos sobre as medidas que tem tomado para garantir que os usuários do Terminal de Integração Cohama/Vinhais tenham seus direitos respeitados. Saímos da mesa de negociações com a certeza que a Viação Primor irá cumprir com as obrigações assumidas, garantindo um terminal provisório e se comprometendo a fazer os reparos em toda a estrutura para que a população possa em pouco tempo voltar a usar o espaço”, destacou Bruno Duailibe.

Terminal provisório

Durante a audiência, a SMTT apresentou o projeto de terminal provisório elaborado para funcionar de forma emergencial para minimizar os transtornos aos cerca de 80 mil usuários do Terminal de Integração Cohama/Vinhais. Pelo projeto elaborado será montada uma estrutura provisória na Rua Aldebaran, via de ligação entre a Avenida Jerônimo de Albuquerque e o terminal.

No local, serão instaladas 20 tendas de 4mx4m, oito banheiros químicos bem como toda a estrutura necessária para o embarque e desembarque dos passageiros. O terminal provisório deve entrar em funcionamento em 48 horas, conforme acordado entre a Prefeitura de São Luís e a Viação Primor e registrado em ata da audiência de conciliação assinada por todos os presentes.

Ficou estabelecido que a Prefeitura de São Luís fará as intervenções asfálticas e de limpeza da via, sinalização horizontal e vertical e a instalação de tapumes para isolar a estrutura do restante do terminal, garantindo a segurança dos passageiros.

Elaboramos este projeto de terminal provisório para garantir que os usuários tenham um espaço adequado e seguro para o embarque e desembarque de passageiros. Este projeto faz parte de todas as ações que a Prefeitura de São Luís tem tomado desde o incidente que levou à interdição total do Terminal Cohama/Vinhais pela Defesa Civil Municipal. Já finalizamos a realização dos serviços de tapa-buraco para o tráfego dos ônibus nas vias bem como toda a capina da área. Vamos entregar o espaço pronto para que a empresa possa montar a estrutura necessária para a operação do terminal de passageiros”, garantiu Diego Baluz.

À Viação Primor caberá a instalação das tendas de cobertura, banheiros químicos, instalações elétricas e demais providências necessárias para funcionamento do terminal provisório. Este local deverá funcionar por apenas 15 dias.

Intervenções no terminal

Enquanto o terminal provisório estiver funcionando, a Viação Primor iniciará os trabalhos no Terminal de Integração Cohama/Vinhais. Inicialmente, a concessionária fará reparos emergenciais nas plataformas 3 e 4 para que eles possam ser desinterditados e o terminal volte a funcionar de forma parcial utilizando estas duas plataformas.

Após a desinterdição das plataformas 3 e 4, a Viação Primor terá prazo de 90 dias para realizar a reforma completa das plataformas 1 e 2 do terminal. Quando as obras forem concluídas, as plataformas 3 e 4 voltarão a ser interditadas e o terminal funcionará parcialmente nas plataformas 1 e 2.

E em até 60 dias a Viação Primor deverá fazer a reforma das plataformas 3 e 4, possibilitando a reabertura completa do Terminal Cohama/Vinhais com toda a segurança necessária para a sua operação.

SMTT informa interdição no Terminal da Cohama após ventania

Terminal de Integração da Cohama, em São Luís

Nota – A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) informa que, após vistoria da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros na manhã deste sábado (19), as plataformas do Terminal de Integração da Cohama foram interditadas, até que as reformas nas coberturas danificadas pelas chuvas sejam concluídas pelo consórcio Primor, que é a responsável pela manutenção do terminal.

A SMTT informa ainda que já está operacionalizando o funcionamento das linhas atendidas pelo Terminal de Integração da Cohama, com a finalidade de continuar atendendo a população que utiliza os serviços de transporte.

Mais uma audiência sem resultado; continua a greve em São Luís…

Foto Reprodução

Na tarde desta sexta-feira (18), Rodoviários e empresários se reuniram mais uma vez, em audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão. O encontro que foi conduzido pelo Desembargador Francisco José Carvalho Neto, Presidente do TRT-MA, também contou com a presença representantes da Prefeitura de São Luís, por meio da SMTT e do Estado, através da MOB.

Após uma semana do último encontro, a audiência não obteve avanços. Os empresários não trouxeram nenhuma outra contraproposta e a Prefeitura de São Luís, mesmo depois de prometer que pensaria em uma solução para o impasse, não apresentou alternativa alguma.

Durante o encontro, o Presidente do TRT-MA, quis entender os motivos que levaram o Município a praticar reajuste de R$ 0,20 centavos nas tarifas, já que encareceu o valor das passagens, mas não conseguiu minimamente, resolver o impasse entre trabalhadores e patrões. Mesmo diante do questionamento, o secretário da SMTT, não deu qualquer explicação.

Percentuais de reajustes para a categoria, foram cogitados durante a audiência pelo Desembargador Francisco José Carvalho Neto e mais uma vez, o SET alegou não ter condições de atender as reivindicações e o Município, por sua vez, afirmou que não teria como apresentar uma outra proposta. Já que não houve conciliação entre as partes, a questão agora segue para a última instância e será encaminhada para julgamento que será realizado pelo próprio TRT-MA.

Vamos seguir lutando pela garantia dos nossos direitos. É inadmissível o que a patronal e o município estão fazendo com nossa categoria. Os Rodoviários merecem ser respeitados. Nossas reivindicações são legítimas e não abriremos mão, em hipótese alguma, do nosso reajuste salarial”, afirma Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.