Dino quer doses da Coronavac para o Maranhão: ‘governo não pode ficar parado’

Governador Flávio Dino

Ontem, após encontro entre governadores e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão declarou que “em vista da falta de uma definição de aquisição de uma vacina contra Covid-19 pelo Ministério da Saúde e do anúncio do governo de São Paulo, que iniciará a imunização em 25 de janeiro, o governo do Maranhão vai adquirir o máximo possível de vacinas disponibilizadas pelo Instituto Butantan”.

Em entrevista à CNN, o governador lembrou que Bolsonaro chamou o novo coronavírus de “gripezinha” e disse que apesar de confiar no ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, tem dúvidas sobre a influência do presidente nas decisões dos órgãos de saúde do Estado brasileiro.

O Ministro Pazuello tem seriedade, mas está tolhido pelas pressões de Bolsonaro, por isso acredito que Congresso e Supremo são as instâncias que vão trazer saídas para a má condução do presidente da República,” disse Dino.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou, em entrevista à CNN na noite desta terça-feira (8), que entrou em contato com o governo de São Paulo para adquirir doses da Coronavac, feita pelo Instituto Butantan, devido à ausência de um Plano Nacional de Imunização.

Segundo ele, sua gestão acatará o plano nacional, mas, enquanto ele não é apresentado, seu governo “não pode ficar parado”.

Lembrando que Dino entrou com uma ação judicial no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo autonomia para que os Estados brasileiros possam adquirir as vacinas já autorizadas por agências reguladoras internacionais.

Com informações da CNN

Um comentário em “Dino quer doses da Coronavac para o Maranhão: ‘governo não pode ficar parado’”

  1. Carlos

    6 meses atrás  

    Não vai falar sobre teu padrinho JOSIMAR, estamos esperando vc postar alguma matéria. Aguardamos

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>