O ABRAÇO DA VITÓRIA!

Esta foi a cena que marcou o fim do debate na TV Mirante com candidatos à Prefeitura de São Luís (2º turno) na noite desta sexta-feira (28). Edivaldo Holanda Júnior rumo à vitória!
Esta foi a cena que marcou o fim do debate na TV Mirante com candidatos à Prefeitura de São Luís (2º turno) na noite desta sexta-feira (28). Edivaldo Holanda Júnior rumo à vitória!

Nova pesquisa Exata: Edivaldo tem 57% e Braide 43% dos votos válidos

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Uma nova pesquisa de intenção de votos ao segundo turno das eleições municipais em São Luís realizada pelo Instituto Exata, contratada pela TV Guará, foi divulgada na noite desta sexta-feira (28). No levantamento o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato à reeleição abre vantagem de 14 pontos percentuais sobre o seu oponente, o deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

No total de votos válidos, Edivaldo tem 57% e Braide 43%. Esta é a segunda pesquisa realizada pelo mesmo instituto em menos de uma semana, que mostra a vitória do prefeito.

Registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo de nº MA-04457/2016, a pesquisa Exata/TV Guará ouviu 800 pessoas entre os dias 25 e 27 de outubro, e apresenta margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos. O grau de confiabilidade é de 95%.

SOMOS TODOS HOLANDINHA!

Vereadores, na sua grande maioria, estão com Edivaldo Holanda Júnior
Vereadores, na sua grande maioria, estão com Edivaldo Holanda Júnior

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), caso eleito, poderá governar com tranquilidade em seu próximo mandato.

Dos 31 vereadores eleitos, 21 estão apoiando a reeleição do pedetista. Os cinco mais votados fazem parte da sua ampla aliança: Osmar Filho (PDT), Astro de Ogum (PR), Pedro Lucas (PTB), Pavão Filho (PDT) e Raimundo Penha (PDT). Desde já, os campeões de votos estão aptos para a presidência da Câmara no próximo ano.

No primeiro turno, 20 foram eleitos da coligação “Pra seguir em Frente”. Nesta reta final, o vereador Genival Alves (PRTB), que estava ao lado de Eliziane Gama, declarou seu voto em Holandinha.

O grupo tem mostrado sintonia e acompanhado Edivaldo pelas caminhadas nos bairros de São Luís.

Tremei, Máfia de Anajatuba!

Do Blog Marrapá

Mulheres no tráfico: trio é preso com 130 Kg de maconha em São Luís

Trio foi conduzido para a Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc)
Trio foi conduzido para a Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc)

Cerca de 130 kg de maconha foram apreendidos na madrugada desta sexta-feira (28), durante operação da Polícia Civil, coordenada pela Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc), em São Luís. Além da droga, a polícia apreendeu ainda balanças de precisão, uma quantia em dinheiro, dois carros de passeio e uma moto. Três pessoas foram presas e encaminhadas à sede da Senarc.

Por telefone, o delegado responsável pela operação, Carlos Alessandro, contou ao G1 detalhes da operação que, segundo ele, foi dividida em duas partes. A primeira parte da ação ocorreu na BR-135, na entrada da capital. Os policiais estavam acompanhando a chegada de um ônibus que vinha de Goiânia.

Nas proximidades do Aeroporto Internacional de São Luís – Marechal Hugo da Cunha Machado, o ônibus parou e um carregamento em três caixas foi transportado do veículo para um carro de passeio onde estavam duas mulheres identificadas como Andreia Salazar Cruz e Larúbia Araújo dos Santos.

Droga chegou neste ônibus que vinha de Goiânia para o Maranhão
Droga chegou neste ônibus que vinha de Goiânia para o Maranhão

Nesse momento, parte da guarnição abordou o motorista do ônibus. Durante abordagem, o homem, identificado como Anderson Clayton Soares Sousa, natural do Tocantins, confessou que estava trazendo o carregamento de Goiânia para o Maranhão. Ele recebeu uma quantia em dinheiro para realizar o transporte. Ele foi levado para a sede do Senarc e o ônibus foi apreendido.

No segundo momento da operação, a outra parte da guarnição abordou o carro de passeio, que seguiu em direção ao bairro São Cristóvão. Ainda em diligência, os policiais foram até a casa das suspeitas, no município Raposa, na Região Metropolitana de São Luís, e encontrou drogas e balanças de precisão. A mulher identificada como Andreia confessou que toda a droga pertencia a ela.

As duas mulheres foram levadas para a Senarc e a polícia apreendeu, além da droga e das balanças de precisão, uma quantia em dinheiro, dois veículos de passeio e uma moto. Os três envolvidos no caso responderão pelos crimes de Tráfico Interestadual de Drogas e Associação para o Tráfico.

Do G1 Maranhão

Perto de ser julgado e após diminuir juiz, Renan se desculpa com Cármen Lúcia

Pouco antes de ser julgado, Renan até elogia presidente do STF
Pouco antes de ser julgado, Renan até elogia presidente do STF

Antes da reunião desta sexta-feira (28), para discutir segurança pública, o presidente do Senado, Renan Calheiros, ligou para a presidente do STF, Cármen Lúcia, e pediu desculpas pela polêmica gerada nesta semana por críticas feitas por ele ao Judiciário.

Renan falou com a ministra do Supremo Tribunal Federal por telefone. Na conversa, primeiro pediu desculpas à presidente do STF e disse que a respeitava e admirava pelo trabalho à frente do Judiciário. Depois, disse que suas declarações têm de ser vistas como uma defesa do Legislativo, na mesma linha do que fez Cármen Lúcia ao rebater as críticas dele, defendendo o Judiciário.

O presidente do Senado condenou a decisão de um juiz da primeira instância, que autorizou a Operação Métis, prendendo quatro policiais do Legislativo sob acusação de estarem criando “embaraços” à Lava Jato.

Renan Calheiros chegou a chamar de “juizeco” o juiz que autorizou a medida, Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal.

Nesta quinta-feira, em linha com o que defendia Renan Calheiros, o ministro do STF Teori Zavascki mandou suspender a Operação Métis por avaliar que ela precisava de autorização do Supremo por envolver, indiretamente, senadores.

Renan e Cármen Lúcia vão participar hoje de reunião no Itamaraty para discutir segurança pública. A reunião foi organizada pelo presidente Michel Temer a partir de sugestão da presidente do STF para tentar elaborar um plano conjunto de Executivo, Judiciário e Legislativo para a segurança pública.

Durante a conversa, o presidente do Senado disse ainda ter sido mal interpretado em suas declarações. Ele disse que não era seu objetivo fazer ataques pessoais nem ao Judiciário como um todo, mas a uma decisão que, em sua opinião, era ilegal.

Fonte: Folha de S. Paulo

Prefeito reeleito em Arari é salvo e tem registro de candidatura deferido no TRE

Djalma Melo, prefeito reeleito em Arari
Djalma Melo, prefeito reeleito em Arari

O candidato a reeleição no município de Arari,  pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), o prefeito Djalma Melo, teve o registro de candidatura ratificada pela Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, por 4 votos contra 1, este último proferido pelo juiz Eduardo Moreira em voto-vista apresentado na última quarta, 26.

A coligação “Povo Unido e Feliz”, assim como a promotoria eleitoral da 27ª zona, recorreram ao TRE-MA, alegando que Djalma Melo estaria pleiteando terceiro mandato sucessivo, sob a argumentação de que “tanto quem sucede como quem substitui titular eleito incide na mesma restrição imposta àquele”.

Em seu voto (vencedor), o desembargador Raimundo Barros, relator do recurso no Tribunal, havia afirmado ser “descabida a afirmação de que Djalma pleiteava terceiro mandato consecutivo vez que, enquanto vice-prefeito no período de 2004 a 2012, não substituiu o então chefe do executivo no período compreendido entre os 6 meses anteriores ao pleito”, conforme prevê jurisprudência do TSE.

Com a decisão, o prefeito foi salvo e será mais uma vez diplomado no dia 1º de Janeiro de 2017.

Brasil tem mais mortes violentas do que a Síria em guerra, mostra anuário

Cledenilson Pereira, suspeito de roubo, linchado e morto em julho de 2015 em São Luís
Cledenilson Pereira, suspeito de roubo, linchado e morto em julho de 2015 em São Luís

Da Agência Brasil

O Brasil registrou mais mortes violentas de 2011 a 2015 do que a Síria, país em guerra, em igual período. Os dados, divulgados hoje (28), são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Foram 278.839 ocorrências de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenção policial no Brasil, de janeiro de 2011 a dezembro de 2015, frente a 256.124 mortes violentas na Síria, entre março de 2011 a dezembro de 2015, de acordo com o Observatório de Direitos Humanos da Síria.

“Enquanto o mundo está discutindo como evitar a tragédia que tem ocorrido em Alepo, em Damasco e várias outras cidades, no Brasil a gente faz de conta que o problema não existe. Ou, no fundo, a gente acha que é um problema é menor. Estamos revelando que a gente teima em não assumi-lo como prioridade nacional”, destacou o diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima.

Apenas em 2015, foram mortos violentamente e intencionalmente 58.383 brasileiros, resultado que representa uma pessoa assassinada no país a cada 9 minutos, ou cerca de 160 mortos por dia. Foram 28,6 pessoas vítimas a cada grupo de 100 mil brasileiros. No entanto, em comparação a 2014 (59.086), o número de mortes violentas sofreu redução de 1,2%. “A retração de 1,2% não deixa de ser uma retração, mas em um patamar muito elevado, é uma oscilação natural, de um número tão elevado assim”, ressaltou Lima.

Das 58.383 mortes violentas no Brasil em 2015, 52.570 foram causadas por homicídios (queda de 1,7% em relação a 2014); 2.307 por latrocínios (aumento de 7,8%); 761 por lesão corporal seguida de morte (diminuição de 20,2%) e 3.345 por intervenção policial (elevação de 6,3%).

Estados

Sergipe, com 57,3 mortes violentas intencionais a cada grupo de 100 mil pessoas, é o estado mais violento do Brasil, seguido por Alagoas (50,8 mortes para cada grupo de 100 mil) e o Rio Grande do Norte (48,6). Os Estados que registraram as menores taxas de mortes violentas intencionais foram São Paulo (11,7 a cada 100 mil pessoas), Santa Catarina (14,3) e Roraima (18,2).

“Os estados em que as mortes crescem, com exceção de Pernambuco, são os que não têm programa de redução de homicídios. Você percebe que quando há política pública, quando você prioriza o problema, são conseguidos alguns resultados positivos”, disse Lima.

As unidades da Federação que mais aumentaram o número de mortes violentas foram o Rio Grande do Norte (elevação de 39,1%), Amazonas (19,6%), e Sergipe (18,2%). Os que mais diminuíram foram Alagoas (queda de 20,8%), o Distrito Federal (-13%), e o Rio de Janeiro (-12,9%).

“Alagoas, estado que mais reduziu o número de mortes, é um caso muito interessante. É o único que tem um programa, em parceria inclusive com o governo federal, há alguns anos. Uma parceria que envolve não só a Força Nacional, mas outras dimensões de equipamentos. O estado que tem integração formal de diferentes entes da Federação é aquele que conseguiu reduzir com mais intensidade”, disse Lima.

De acordo com o diretor-presidente do fórum, a grande maioria dos oito Estados que têm programas de redução de homicídios teve diminuição no número de mortes violentas: Alagoas (-20,8%), Bahia (-0,9%), Ceará (-9,2%), Distrito Federal (-13%), Espírito Santo (-10,7%), Pernambuco (+12,4%), Rio de Janeiro (-12,9%), e São Paulo (-11,4%).

Letalidade policial

De acordo com o anuário, a cada dia, pelo menos 9 pessoas foram mortas por policiais no Brasil em 2015, resultando num total de 3.345 pessoas, ou uma taxa de 1,6 morte a cada grupo de 100 mil pessoas. O número é 6,3% superior ao registrado no ano anterior. São Paulo foi o estado com o maior número de pessoas mortas por policiais em 2015: 848. As maiores taxas de letalidade policial registradas no último ano foram nos estados do Amapá (5 para cada grupo de 100 mil pessoas), Rio de Janeiro (3,9) e de Alagoas (2,9). Considerando-se os números absolutos, São Paulo e o Rio de Janeiro concentram sozinhos 1.493 mortes decorrentes de intervenções policiais, ou 45% do total registrado no país.

A taxa brasileira de letalidade policial (1,6) supera a de países como Honduras (1,2) e África do Sul (1,1). “Isso demonstra um padrão de atuação que precisa ser revisto urgentemente. Esse padrão faz com que você tenha [no Brasil] o número de pessoas mortas por intervenção policial como o mais alto do mundo. Nossa taxa de letalidade policial é maior do que a de Honduras, que é considerado o país mais violento em termos proporcionais, em termos de taxa, do mundo”.

“Esse é um problema que continua muito sério no país e não está submetido especificamente à dimensão dessa nova realidade, seja a lei de terrorismo ou outras questões. Mas estamos com um problema muito agudo do padrão de trabalho das polícias”, destacou Lima.

O total de policiais vítimas de homicídios em serviço e fora do horário do expediente também é elevado no Brasil. Em 2015, foram mortos 393 policiais, 16 a menos do que no ano anterior. Proporcionalmente, os policiais brasileiros são três vezes mais assassinados fora do horário de trabalho do que no serviço: foram 103 mortos durante o expediente (crescimento de 30,4% em relação a 2014) e 290 fora (queda de 12,1% em relação a 2014), geralmente em situações de reação a roubo (latrocínio).

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que está em sua 10ª edição, será lançado no dia 3 de novembro pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

VÍDEO: alterado, professor da UFMA arremessa cadeiras contra alunos no CCH

Ocupação no CCH termina com aluna agredida e BO na Delegacia de Polícia Civil
Ocupação no CCH termina com aluna agredida e BO na Delegacia de Polícia Civil

O que era para ser um protesto pacífico terminou em tumulto e agressão na tarde desta quinta-feira (27) na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís.

Estudantes contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 ocupavam o prédio do Centro de Ciências Humanas (CCH) quando um professor de Filosofia, identificado como Wellington Amorim empurrou e arremessou cadeiras – usadas para formar uma espécie de barricada – contra alunos que estavam no corredor sem se preocupar com a integridade física de nenhum deles.

“É revoltante que um professor de filosofia não saiba usar a dialética em momentos como esse. Quatro de nós tiveram lesões leves, mas poderia ser bem pior levando em consideração a agressividade com que o professor lidava com os alunos”, desabafou um dos estudantes que presenciou o destempero do docente.

Outro completa: “Não podemos aceitar que professores como Wellington Amorim, que tenham uma atitude tão agressiva em relação a uma ocupação pacífica de estudantes, continuem a lecionar em nossa universidade. Lugar de professor que agride estudante não é na universidade”.

A manifestação teve uma parada na noite de ontem (27). E como nesta sexta-feira (28) não haverá expediente na UFMA por conta do feriado do Dia do Servidor, estudantes devem voltar a ocupar o prédio somente na segunda-feira (31).

“Não temos medo. A demonstração de brutalidade não nos intimida. A luta pela Educação continua!”, conclui um universitário que presenciou o tumulto e a agressão que acabou virando caso de polícia sendo registrado um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia da Vila Embratel.

Veja as imagens do momento em que o professor se irrita e arremessa cadeiras contra estudantes:

Na última quarta-feira (26), estudantes do Colégio Universitário (Colun) também protestaram na entrada da UFMA contra a PEC 241.

Além desta manifestação e da ocupação no CCH da UFMA, mais cinco instituições também estão ocupadas por estudantes: o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Centro Histórico, o IFMA Campus Açailândia, a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Campus Chapadinha, o Núcleo de História da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e o Centro Integrado do Rio Anil (Cintra), em São Luís.

RETA FINAL: Edivaldo vai ampliar ações na Prefeitura de São Luís

Edivaldo é recebido com alegria em várias comunidades de São Luís
Edivaldo é recebido com alegria em várias comunidades de São Luís

O prefeito de São Luís e candidato à reeleição, Edivaldo Holanda Junior (PDT), vai ampliar ações nas áreas de saúde, educação, transportes, mobilidade urbana, infraestrutura, turismo, cultura, meio ambiente, segurança pública e trabalho e renda. As propostas – prolongamento de seu governo (2013/2016) – tem o objetivo de dar continuidade aos projetos e programas em andamento e que já estão espalhados, podendo ser vistos, em vários locais da cidade.

No informativo da coligação “Pra Seguir em Frente”, entregue a população e eleitores, o candidato do PDT destaca os principais avanços ocorridos em sua administração e o que ainda será feito no próximo mandato. Entre eles: asfaltar mais 3.600 ruas; revitalizar mais 60 praças; a construção da Maternidade da Cidade Operária; urbanizar mais 95 bairros, entre outros.

“É importante lembrar que a São Luís que encontramos, em 2013, estava próxima do caos em todas as áreas. Então, a primeira coisa que fizemos foi colocar ordem na casa e hoje estamos, de forma gradual, transformando esse cenário. Já fizemos muito e é dessa forma que vamos continuar trabalhando, com honestidade e planejamento”, afirma Edivaldo.

Edivaldo e Júlio Pinheiro, parceria firme!
Edivaldo e Júlio Pinheiro, parceria firme!

Edivaldo tem dito durante entrevistas e, principalmente, junto aos ludovicenses que, com experiência, vai trabalhar ainda muito para fazer de São Luís uma das capitais que mais ações transformadoras terão no país. Para tanto, o atual prefeito quer ampliar com propostas coerentes e com a ajuda de parcerias (estadual e federal) o seu plano de governo iniciado em 2013.

“Amo esta cidade, por isso fiz questão de percorrer a cidade, olhando nos olhos dos moradores, debatendo com as pessoas os avanços que promovemos e as nossas propostas para os próximos anos. Vamos juntos transformar São Luís. No dia 30 vote no 12, prefeito Edivaldo”, enfatiza Edivaldo em conversa com aos moradores, durante as caminhadas e carreatas.

Seguir em frente

São muitas as propostas de continuidade e ampliação no governo de Edivaldo. Entre elas na área de saúde terá a implantação do primeiro Centro de Reabilitação Neurológica, Motora, Visual, Auditiva e Intelectual do Maranhão; descentralização da marcação de consultas e exames para os 54 Centros de Saúde; implantação de mais uma CAPS Álcool e Drogas; criação do primeiro Centro de Referência em Diabetes e

Hipertensão e de mais um Centro de Especialidades Médicas e de mais 22 Unidades Básicas de Saúde.

Na Educação, a reforma de todas as escolas, que terão segurança 24 horas, internet e ar-condicionado nas salas de aula; continuidade ao programa de construção de creches e escolas de ensino fundamental; implantar o programa de Formação; reestruturar o Centro de Formação dos Educadores, entre outros.

Criar o Prouni Municipal, mais quatro CRAS e dois CREAS, um Lar para os Idosos; construir 15 km de ciclovias, o corredor de transporte-BRT, Cozinhas Comunitárias e implantar sete novas Interbairros, semáforos sincronizados e wi-fi gratuito nos ônibus; estão dentre as inúmeras propostas que podem ser vistas e acessadas AQUI.

São Luís vai continuar avançando com qualidade de vida!

IBOPE: mais uma pesquisa mostra vitória de Edivaldo com 52% dos votos válidos

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A segunda pesquisa de intenção de votos para o segundo turno das eleições municipais em São Luís divulgada na noite desta quinta-feira (27) mostra mais uma possível vitória do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato à reeleição.

Trata-se da segunda pesquisa eleitoral Ibope encomendada pela TV Mirante, onde 805 eleitores foram entrevistados entre os dias 25 a 27 de outubro na capital maranhense. Nesta, o candidato pedetista alcança uma virada em cima do segundo colocado Eduardo Braide (PMB), que apareceu à frente na primeira pesquisa.

De acordo com a pesquisa divulgada hoje, nos votos totais, Edivaldo Holanda tem 48% e Eduardo Braide 44%. Votos Branco/nulo/nenhum correspondem a 5 %. Já 3 % não sabe/não respondeu.

Nos votos válidos, onde são excluídos os brancos, nulos e os eleitores que se declaram indecisos, Edivaldo alcançou 52% e Braide 48%.

A pesquisa eleitoral foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral Maranhão (TRE-MA) sob o protocolo MA-03448/2016. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.